A questão das ATAs do PMDB - 2

08/07/2012 15:24

Finalizamos com a matéria abaixo, a entrevista com o vereador João Victor e Waldir de Lima.

O Blog irá publicar Opinião! a respeito desta questão em particular, assim que a tiver preparado.

 

A questão das 3 ATAs do PMDB no Cartório Eleitoral - Parte 2

Resumo da Entrevista com Waldir de Lima e Vereador João Victor.

 

  Na opinião dos entrevistados, a 3ª ATA, a que foi entregue pela coligação do PV, e que afirmam ter sido realizada dia 30/06 às 10:00h na rua Manoel da Nóbrega em São Paulo, capital, em Convenção pessoalmente dirigida e assinada pelo Deputado Baleia Rossi neste dia e hora, não tem valor legal. Os entrevistados viram que no site www.pmdbsp.org.br o Deputado estava naquele mesmo dia e horário em Orlândia/SP, cerca de 300 km de São Paulo, dirigindo pessoalmente a Convenção do PMDB na cidade, tendo antes passado pelos municípios de Barrinha/SP e São João da Barra/SP. Oras, na ATA do dia 30/06, a 3ª neste caso, menciona que não havia nenhum convencional apto em Várzea Paulista, estranhamente ignorando o vereador João Victor, o Bé, da mesma forma que não foi sequer mencionada a chapa concorrente devidamente registrada. Os próprios filiados e vereador não tiveram prévio conhecimento desta Convenção Municipal feita pela Estadual, desprezando solenemente e não informando a mesma ao vereador João Victor em pleno mandato pelo PMDB.

   * Veja a 3ª ATA nos arquivos:  arquivo3  e  arquivo4

   Os entrevistados observaram tudo o que foi postado nas redes sociais, e viram que postaram o PMDB coligado com o PTC e PSC, mas que em 03/06, por volta das 22:00h, e conforme publicado nas redes sociais no mesmo dia e noticiado pelo Blog no dia 04/06, ficou somente PMDB com PTC, pois o anuncio da coligação PSC com PSDB pegou o PV de surpresa de última hora.

   Concluindo, pelo visto é inegável a intervenção da Justiça Eleitoral neste caso, que espera-se faça justiça. Existindo caracterização de ilegalidade, o Ministério Público deve apurar as responsabilidades !

 

   Destacamos nesta entrevista o envolvimento direto do vereador João Victor, Bé, que decepcionado a partir do momento em que notou que intenção do PV não visava apoio político, mas tão somente os 3 minutos de rádio e TV do qual o PMDB dispõe, deixou de acreditar nas ofertas do PV de coligação que não lhe sinalizavam chances reais de reeleição, além de evidenciar o descaso do PV para com os filiados com mais de 30 dias de partido.

  João Victor foi conversar pessoalmente em São Paulo com os Deputados Baleia Rossi e Caruso que, em sua presença, ligaram para o Dr. Cláudio Miranda, presidente do PMDB de Jundiaí que deu início e fomentou o processo de mudança no PMDB de Várzea Paulista, exigindo que o PV se coligasse com o PMDB, e se isso não ocorresse iria entregar a Comissão Provisória ao vereador João Victor. Foram 4 visitas, e em todas elas foram reafirmadas as mesmas promessas pelos mesmos Deputados, mas que hoje, 07/06, ficou evidente se tratar de jogo de cena para enganar o vereador e ganhar tempo nas manobras.

   O vereador afirmou ao Blog que, se o PV firmasse aliança com o PMDB, nada disso estaria acontecendo, não haveria disputa judicial e ele estaria tranqüilamente coligado com PV, mesmo que sua preferência fosse com o PT. Mas, quando das conversas que ele teve com o PV, ouviu pessoalmente do Juvenal Rossi que coligação do PMDB com PV  estava fora de cogitação.

   O vereador confia que a decisão da Justiça Eleitoral lhe faça justiça, aprovando a ATA que apresentou como representante legitimo do PMDB de Várzea Paulista no dia 30/06, a 2ª ratificando a 1ª do dia 12/06, realizada conforme o Estatuto partidário e dentro da lei eleitoral.

 

 

 

 

Voltar