A questão das Atas 2012 do PMDB -1

08/07/2012 13:44

O Blog entrevistou o vereador João Victor, Bé, e Waldir de Lima, para saber da história que envolve a questão da coligação dupla do PMDB, uma com o PT e outra com o PTC, e as 3 ATAs registradas no Cartório Eleitoral de Várzea Paulista !

Como a parte final da entrevista ainda está sendo editada, dividimos a mesma em 2:

 

   A questão das 3 ATAs do PMDB no Cartório Eleitoral - Parte 1

   Resumo da Entrevista com Vereador João Victor e Waldir de Lima.

 

   Em meados de 2010 o Diretório Estadual do PMDB reviu a situação do partido nas cidades do Estado de São Paulo e, no caso de Várzea Paulista, definiu nova Comissão Provisória, fazendo com que deixasse de ser oposição e passasse a ser situação. Desde então, passou a construir um relação sólida com o governo do PT na cidade para estas eleições 2012, e na busca de novos filiados conseguiu a adesão do vereador João Victor, o Bé, eleito em 2008 pelo PtdoB.

  Para estas eleições 2012, o PMDB, cumprindo rigorosamente todas as instruções do Estatuto do partido, no inicio de junho convocou e realizou a Convenção Partidária Municipal do PMDB no dia 12/06, entregando e protocolando a ATA no Cartório Eleitoral dia 18/06. No dia seguinte, 19/06, a direção do partido foi surpreendida com a publicação da nova Nominata com a nova Comissão Provisória imposta pelo Diretório Estadual do PMDB. Imediatamente foi protocolado junto ao Diretório Estadual, 21/06, uma ação que até o presente momento não houve resposta, mas que no dia 22/06 o Jornal da Cidade publicou Edital com a nova direção municipal do PMDB. Esta nova direção convocou outra Convenção junto com o Partido Verde, para substituir a anterior. Seguindo as regras do Estatuto do PMDB, a direção anterior registrou uma chapa para disputar indicação na nova Convenção convocada.

   No dia 29/06 foi solicitada a presença de um observador da Justiça Eleitoral para esta nova Convenção, como medida preventiva a uma possível manobra ilegal, mas que a Justiça Eleitoral negou por entender não ser necessário. Neste mesmo dia o vereador João Victor impetrou Mandato de Segurança, e a Justiça Eleitoral expediu liminar concedendo o direito a voto na Convenção do PMDB, somente aos convencionais que tivessem 30 dias, ou mais, de filiação no partido. Esse documento foi encaminhado no momento seguinte ao novo presidente da Comissão provisória, Dr. Carlos Almir.

   Dia 30/06, data da nova Convenção do PMDB, que foi realizada junto com a do PV, e não constando a presença dos membros da diretoria vigente, o vereador João Victor assumiu os trabalhos da Convenção e fechou a ATA, com somente 1 voto válido entre os convencionais e filiados presentes do PMDB, e na presença dos demais participantes na Convenção do PV, Jornais impressos e TV.

   Até dia 04/06, foi tentado por diversas vezes entregar cópia da ATA da Convenção do dia 30/06 ao presidente atual do PMDB, Dr. Carlos Almir, que recusou o recebimento conforme orientações jurídicas. Dessa forma, o vereador João Victor encaminhou a ATA para registro da coligação e candidaturas, que foi entregue e protocolado no Cartório Eleitoral no mesmo dia 04/07.

  * Vide documento e protocolamento da ATA nos arquivos: arquiv o1  e   arquivo2

   Dia 07/06, o vereador João Victor foi novamente surpreendido, agora com a publicação pelo Blog das Listas das coligações partidárias e candidatos indicados para disputar para vereador. O PMDB e o vereador aparece em duas coligações (clique aqui para conferir), mas sua assinatura só consta nas ATAs das Convenções do dia 12 e dia 30/06 das quais ele participou.

 

 

Voltar