107 - OS PRINCIPAIS ATRIBUTOS DA IMAGEM POLÍTICA

22/11/2012 11:45

    Artigo de Francisco Ferraz

    Fonte: www.politicaparapoliticos.com.br

   O político deverá fazer a sua pesquisa, procurando se informar sobre os atributos mais valorizados pelo eleitor, de maneira a poder conformar a sua imagem a eles

   Administrados os problemas relativos à aparência física e ao nome - quando for necessário -, ingressa-se então na tarefa de construção da imagem. Portanto, o primeiro passo é a identificação do candidato com atributos que estão associados à imagem desejada. Há dois tipos de atributos principais, de cujas combinações se constroem as imagens que com maior freqüência são usadas na vida política:

   Há dois tipos de atributos principais, de cujas combinações se constroem as imagens que com maior freqüência são usadas na vida política:

·  Atributos pessoais

·  Atributos funcionais

   Cada imagem que se constrói é um "mix" de atributos de natureza pessoal com outros de natureza funcional. Os primeiros referem-se a características (virtudes e defeitos) que os indivíduos possuem (ou anunciam possuir) na sua vida privada. Não têm, pois, um conteúdo necessariamente político.

   Já os segundos, são especificamente políticos, dizendo respeito às qualificações que são julgadas como compatíveis e necessárias para o exercício de cargos públicos. É óbvio que essa diferenciação não deve ser levada ao extremo. Características pessoais, quando associadas à disputa por um cargo, inevitavelmente adquirem uma projeção política. Mais ainda quando associadas a características funcionais, que sejam peculiares à função em disputa.

   O fato de que a imagem política se compõe de um "mix" de características pessoais e funcionais decorre da própria natureza da escolha que o eleitor exerce ao votar: ele vota em alguém que julga tecnicamente qualificado, mas ele também vota numa pessoa que ele julga pessoalmente qualificada para a função.

   De nada lhe adianta escolher alguém tecnicamente apto e profissionalmente preparado, se moralmente se trata de uma pessoa desqualificada; inversamente, de nada lhe adianta escolher alguém de moral inatacável, mas tecnicamente despreparado e desqualificado para o cargo. O eleitor busca, na sua escolha, combinar ambas as qualificações, na pessoa do candidato que decidiu apoiar.

 

   Características pessoais e funcionais mais comuns na construção da imagem política.

   As características pessoais que são consideradas como mais relevantes na política são as seguintes, apresentadas sob a forma de um "continuum" que cobre o espaço dela e de seu oposto, admitindo inúmeras gradações entre os dois extremos (veja tabela abaixo).

   Atributos pessoais        Oposto

Honestidade                    Desonestidade

Sinceridade                     Falsidade

Confiável                         Não confiável

  Humano                         Frio, tecnocrático

  Acessível                        Distante

Autoritário                      Democrático

Arrogante                       Simples, humilde

Inteligente                      Limitado, burro

Vaidoso                          Simples

Agressivo                       Moderado

Ambicioso                     Despreendido

Astuto, "vivo"                 Lento, "lesma"

Autêntico                      Oportunista, "sabonete"

Maduro                         Precipitado

   Haveria muitas outras características a listar, e, em cada comunidade, haverá, por certo, algumas que não foram citadas nesta lista, e que podem e devem ser agregadas.

   De forma análoga, pode-se listar também algumas das características funcionais mais freqüentemente atribuídas aos políticos, na conformação de suas imagens (ver tabela abaixo).

  Atributos funcionais                 Oposto

Experiente                                 Inexperiente

Firme                                        Frouxo

  Determinado                              Hesitante

Convicto                                   Volúvel

Rígido                                       Flexível

Competente                              Incompetente

Preparado, qualificado                Despreparado

 

   O eleitor possui um conceito "idealizado" de imagem, em primeiro lugar para o cargo público disputado naquela eleição. "Espera-se de um Prefeito que seja ...", seguindo-se na conclusão da frase uma seqüência de atributos de natureza pessoal e funcional.

   Esta seqüência, se deixada livre para responder, quando articulada na resposta dada pelo eleitor, numa entrevista de pesquisa, será enorme, e envolverá várias contradições, ao exigir do titular do cargo atributos que se opõem entre si.

   Se, entretanto, o entrevistador exigir que o respondente liste as três mais importantes para ele, ou a mais importante, ter-se-á, após entrevistar-se toda a amostra, provavelmente, uma definição tendencial dos atributos - pessoais e funcionais - mais importantes que os eleitores vinculam aquele cargo.

   Em tese, então, o candidato cuja imagem parecer ao eleitor que possui mais daqueles atributos, e os possui em maior intensidade, deve ser o mais votado e ganhar a eleição. Cada candidato então deverá estar fazendo sua pesquisa, procurando saber mais, e com maior profundidade, qual o mix de atributos mais valorizado pelo eleitor, de maneira a poder conformar a sua imagem a eles.

   A qualidade das pesquisas feitas, e a lucidez e sutileza na análise e na interpretação dos resultados, são decisivas para orientar a formação do mix mais ajustado àquela "imagem idealizada" que os eleitores têm em relacão ao cargo.

Mas não basta por no papel a imagem idealizada do eleitor e os atributos que o candidato deva possuir. O sucesso vai depender, em grande medida, da capacidade de o candidato interpretar bem o seu papel e dotar de autenticidade a sua imagem.

   O procedimento descrito é, pois, de fundamental importância para a fixação da imagem do candidato, e deve ser compatível e harmônico com o posicionamento adotado por sua candidatura, e com a sua personalidade.

 

 

Voltar