170 - A "POLÊMICA" DA MERENDA ESCOLAR EM V.PTA.

20/03/2013 08:33

 

  A sessão da Câmara Municipal de ontem, 19/03 às 19h, contou com a participação do Secretário de Educação, e vice-prefeito pelo PSB, professor Rodolfo, que subiu à tribuna para explicar a "polêmica" da merenda escolar. Comentários pós sessão deram conta que o conteúdo do discurso foi de consistência frágil, observando-se contradições que revelam uma preparação das explicações feita às pressas, na tentativa de "limpar" o que restou do "incendio" que sua decisão provocou, principalmente na forma de aplicar as restrições na distribuição da merenda na rede de ensino público aqui da cidade.

   No discurso, o Secretário afirmou que não foi dada orientação proibindo que os alunos repetissem a refeição, contrariando tudo o que aconteceu e se viu em algumas escolas municipais, e que, certamente, professores, alunos e funcionários faltaram com a verdade na divulgação do que rolou dia 18/03, segunda feira. 

  O Secretario também comentou na tribuna que o repasse do governo estadual era de R$ 0,30 por aluno, mas também se equivocou nessa informação pois o repasse é de R$ 0,25 e vai passar a ser de R$ 0,50, conforme anunciado pelo governador dia 14/03. Parece que a assessoria do Secretário de Educação não o municiou de informações corretas... Essa informação referente aos valores pode ser confirmada no endereço: http://www.jcnet.com.br/Politica/2013/03/estado-dobra-o-repasse-da-merenda.html

   Por outro lado foi dito, na tribuna pelos srs. vereadores, que a participação dos professores e funcionários na merenda se tratava de "praxe", mas sabe-se que isso foi adotado tácitamente por todas as partes envolvidas já que a merenda SEMPRE foi destinada tão somente aos alunos, conforme previsto na LEI Nº 11.947, de 16 de Junho de 2009, fato que não foi mencionado em momento nenhum na sessão de ontem. 

  A próxima edição impressa do Radar vai dar outros detalhes sobre essa "polêmica" que, descartando-se o aspecto emocional, deixou o governo do atual prefeito "arranhado" na rede de ensino público e demais setores do governo neste inicio de mandato, pois é inegável o descontentamento que essa questão provocou nas escolas, familias dos alunos e opinião pública.  Antes da sessão da Câmara, o que se ouvia nos bastidores é que, com isso, o Secretario deu um tiro no pé, dele e do prefeito.

 

Voltar