174 - INSATISFAÇÃO DO FUTEBOL AMADOR NO JD. DIANA

25/03/2013 09:54

   O espaço da prefeitura destinado à prática de esportes no Jd Diana, particularmente do futebol amador da cidade, onde atualmente está sendo disputado a 1ª Taça Diana de Futebol 2013, tem provocado controvérsias e insatisfações no local.

   Dia 15/03, o Jornal A Verdade Regional publicou matéria sobre o local, com a informação de que tudo era gratuito por lá. Mas na prática, segundo dizem, não é bem assim.

   Segundo informações dos participantes, é cobrado uma taxa de R$ 300,00 de inscrição para participar do campeonato, e R$ 50,00 de cada time em cada jogo disputado no campo. Estes R$ 50,00 cobrado de cada time em dia de jogo, é para pagamento do árbitro que, segundo informações, recebe R$ 300,00 por dia de atuação (normalmente aos domingos). A questão é que os participantes estão reclamando que o árbitro não apita mais jogos por ter sido agredido em campo, e se recusa a voltar por falta de segurança (comentam que o pessoal da coordenação é quem tem apitado as partidas).

   Segurança é a segunda queixa dos times participantes e público, já que não há viatura da GM presente nos jogos que, segundo comentam, sempre há atritos no local.

   Outra questão abordada pelos presentes no local é o fato de menores estarem trabalhando na lanchonete, onde são vendidas bebidas alcoólicas ao público em geral, e questionam se a prefeitura (Conselho Tutelar) sabe disso, se é permitido e se há autorização para exploração da lanchonete por particulares no espaço público.

   Uma pergunta que o pessoal tem colocado em pauta é para onde vai o dinheiro arrecadado com as inscrições, bem como o dinheiro de cada jogo destinado ao arbitro se quem apita são integrantes da coordenação do local.

   Informações dão conta que a responsabilidade pelo local é de um funcionário da prefeitura.

  Contudo, há informação que já foi protocolado um pedido de esclarecimentos junto à prefeitura quanto à utilização daquela área pública. A prefeitura tem 15 dias para se manifestar, e não se sabe exatamente quem foi o autor do pedido.

   Não sabemos se o atual Secretário Municipal de Educação, Esporte, Cultura e Lazer, e vice-prefeito, Professor Rodolfo, tem informações sobre essa questão. Se não tiver é porque existe uma "falha" na comunicação entre os responsáveis e ele. Se ele já tem informações deveria tratar de verificar isso o quanto antes, pois o devastador desgaste político com o episódio da merenda escolar ainda está muito recente e o prefeito certamente não irá gostar disso nem um pouco, considerando que existe o risco eminente de se transformar em outro "imbróglio", altamente indesejável junto à opinião pública, nestes primeiros 100 dias de governo, principalmente se vierem à tona e forem confirmadas as suspeitas do pessoal que fazem uso do local.

  

 

Voltar