186 - A SAÚDE PÚBLICA EM VÁRZEA PAULISTA - 3

19/04/2013 08:49

    Parte 3: Falta de medicamentos e remanejamento de funcionários

   A área de saúde pública de Várzea Paulista, que parece estar com problemas internos na questão na falta de medicamentos, deixa entrever que podem existir problemas mais sérios entre a saída de medicamentos da central de suprimentos da prefeitura e a distribuição pública nos postos, coisa que pode estar deixando o prefeito chateado e de orelha em pé.

 Por outro lado, comentários e conversas "secretas", como a reunião de ontem no Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais promovida por alguns funcionários da área de saúde, deixam a entender que podem existir problemas também mais sérios, e insinuam que, na base do ninguém sabe, ouviu, viu ou confirma, algo mais parece estar por trás da insatisfação dos funcionários que estão sendo remanejados de setor.

  O Blog foi ontem, 18/04 às 17h30m, no Sindicato para assistir a reunião, mas foi impedido por exigência de um dos participantes que disse que o assunto era tão somente do interesse dos funcionários da saúde presentes, cerca de uns 15 de um total aproximado de 700. O que foi discutido e tratado somente entre estes no Sindicato ? Oras, se a saúde é pública e os funcionários são públicos, então porque reunião "secreta" ?  O que eles não sabiam, confirmaram isso ao Blog ontem, é que o remanejamento é para atender a necessidade do atendimento de senhoras e homens nos exames intimos, e como tem UBS só com enfermeiros homens, ou só mulheres, foram efetuadas trocas para se ter enfermeiros homens e mulheres em todos os postos de saúde, segundo informações do governo. É provável que foi cometido o mesmo êrro que a Educação cometeu no episódio da Merenda Escolar, ou seja: falta de tato ao lidar préviamente com o funcionalismo, mas não se sabe se sim ou se não.

 Comentários na área de saúde também dizem que a Chefe Departamental da Secretaria da Saúde é "autoritária", principalmente na questão do remanejamento, e aí pode estar o pomo da discórdia a ser usado como pretexto para a "insatisfação" de alguns, segundo dizem. Mas é verdade isso sobre a Chefe ? Tudo não passaria de coisa da "imaginação" de uns e outros ? Pode ser, mas, pelo sim pelo não, cabe aos orgãos competentes verificarem o que pode estar acontecendo na área de saúde, minuciosamente... e, não se sabe bem, há quem garanta que tem coisa em jogo camuflada nos bastidores, e talvez isso explique também o porque dos "olheiros" nas UBS. Enquanto isso a população pode estar no prejuízo nessa queda de braço, mas parece que já há sinais de normalização da disponibilidade de material de higiene e limpeza, e medicamentos nas UBS. Menos mal...

 Entretanto, os nobres vereadores, ganhando o que ganham, poderiam muito bem se mexer e darem atenção de verdade à saúde pública, afinal os usuários das UBS, e todos os funcionários da saúde, também são eleitores. Porque, só subir na tribuna da Câmara para fazer discurso "inflamado e indignado", enviar petição pedindo explicações ao prefeito e Secretaria, seja contra ou a favor, etc., certamente não vai ajudar muito... Como a questão está ocorrendo hoje, aqui e agora, espera-se que haja alguma ação concreta da parte deles... de todos eles... sem excessão...

 

 

 

Voltar