190- A SAÚDE PÚBLICA EM V.PTA - 5

27/04/2013 09:58

   Parte 5 - CAPS: Centro de Atenção Psicossocial

     Localizado na Praça Anisio Ribeiro de Lima na Vila Santa Terezinha, o CAPS tem sido alvo de desatenção da prefeitura na áea de saúde pública, área muito sensível no que diz respeito ao aspecto social.

    Seu objetivo é oferecer atendimento à população, realizar o acompanhamento clínico e a reinserção social dos usuários pelo acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.  

    Como regra, os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), entre todos os dispositivos de atenção à saúde mental, têm valor estratégico para a Reforma Psiquiátrica Brasileira. Com a criação desses centros, possibilita-se a organização de uma rede substitutiva ao Hospital Psiquiátrico no país. Os CAPS são serviços de saúde municipais, abertos, comunitários que oferecem atendimento diário.

   É função do CAPS:

- prestar atendimento clínico em regime de atenção diária, evitando as internações em hospitais psiquiátricos;

- acolher e atender as pessoas com transtornos mentais graves e persistentes, procurando preservar e fortalecer os laços sociais do usuário em seu território; 
- promover a inserção social das pessoas com transtornos mentais por meio de ações intersetoriais; 
- regular a porta de entrada da rede de assistência em saúde mental na sua área de atuação; 
- dar suporte a atenção à saúde mental na rede básica; 
- organizar a rede de atenção às pessoas com transtornos mentais nos municípios; 
- articular estrategicamente a rede e a política de saúde mental num determinado território 
- promover a reinserção social do indivíduo através do acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.

    Estes serviços devem ser substitutivos e não complementares ao hospital psiquiátrico. De fato, o CAPS é o núcleo de uma nova clínica, produtora de autonomia, que convida o usuário à responsabilização e ao protagonismo em toda a trajetória do seu tratamento.

    O perfil populacional dos municípios é sem dúvida um dos principais critérios para o planejamento da rede de atenção à saúde mental nas cidades, e para a implantação de centros de Atenção Psicossocial. O critério populacional, no entanto, deve ser compreendido apenas como um orientador para o planejamento das ações de saúde. De fato, é o gestor local, articulado com as outras instâncias de gestão do SUS, que terá as condições mais adequadas para definir os equipamentos que melhor respondem às demandas de saúde mental de seu município.

     O Blog apurou aqui em Várzea Paulista os seguintes problemas crônicos:

   1. Bebedouro que não funciona,

   2. A cobertura nos fundos destinada como área de lazer toda danificada,

   3. O banheiro público, e dos funcionários, é usado tanto para homens como para mulheres (unisex),

   4. TV para distração dos pacientes está sem funcionar a bom tempo,

   5. Não há assistente social, a que havia foi remanejada para outro local,

   6. Medicamentos controlados em falta,

   7. Médicos disponíveis somente às 2ª e 3ª feira à tarde, e às 2ª e 4ª de manhã,

   - etc.

   Espera-se que com a nova Secretária de Saúde, dra. Helena, o CAPS passe a ter os cuidados e atenção necessários e também manutenção da prefeitura, a bem da população que precisa dos serviços sociais e médicos oferecidos com dignidade pela administração pública municipal.

 

 

Voltar