195 - POLÍTICA DA ENGANAÇÃO

11/05/2013 08:58

   Um olhar critico dos jornais que circulam aqui em Várzea Paulista mostra que os mesmos publicam somente as coisas boas do governo, sem que nenhum deles seja critico o suficiente para levar ao conhecimento público o que precisa ser corrigido e melhorado na cidade e, principalmente, na administração pública. O preço para isso é a garantia do governo municipal em fornecer matérias pagas que sejam do agrado da política oficial. Portanto não se vê oposição na imprensa escrita, portanto a população só fica sabendo o que convém ao governo. Sem a intenção de ser antipático junto aos srs. jornalistas, transcrevemos o texto abaixo, adaptado para a realidade local, que retrata bem esse olhar critico que hoje vemos por aqui, para reflexão:

   Fonte: http://www.recantodasletras.com.br/redacoes/703445

   Autor: Lorraine Amorim

 Informar o que é de interesse público, com a preocupação do bem-estar social: essa é a função principal do jornalista. Considerando a corrupção - o mal do século - como conseqüência do capitalismo ascendente no mundo todo, é de se esperar que a função não seja cumprida. Talvez pela publicidade que toma conta de todos os meios de comunicação de massa (televisão, jornais impressos, rádio, Internet), mas principalmente pela idéia de querer sempre mais, independente do que se tem.

   Os jornalistas passam a fazer parte de um mundo de ambições que os prende à ideologia de certos partidos, pondo em risco seus empregos, caso tenham opinião contrária ao que dizem os parlamentares.

   Os veículos de comunicação deixam de mostrar fatos importantes sobre o governo e oposição, em troca do dinheiro oferecido pelos políticos, que pretendem não deixar cair em conhecimento público as barbaridades que cometem para realização pessoal, como desvio de verbas e impostos, principalmente.

   Assim, os comunicadores contribuem para a difusão da política de “enganação” do povo, lê-se populismo. Nela, os donos do poder aproveitam a ingenuidade e ignorância do povo para manterem-se populares e prestigiados, acumularem votos prolongando o mandato. Para isso, usam um sistema de benefício às camadas mais carentes da sociedade, conquistando a simpatia destes.

   O povo se apoia nas decisões de políticos desse tipo e acredita que fazem o melhor pelo país, quando, na verdade, afundam a possibilidade de crescimento econômico, político e social para dar uma vida de rei aos corruptos que não têm interesse nenhum na qualidade de vida do restante da sociedade.

   A situação é uma bola de neve que a cada dia se torna mais sólida. Portanto, os jornalistas, como divulgadores de informação, têm o dever de alertar a população sobre as injustiças, descasos e má intenção dos governantes e torná-la mais esperta e analista para eleições futuras. Com isso, mais consciência, boa índole e ética  dos políticos, a administração caminhará para ser respeitável.

 

 

Voltar