232 - BOM E MAU POLÍTICO

16/09/2013 08:56

     Texto de Maria José Gonçalves

   Quando falamos em bom politico, nos lembramos do homem que governa pensando em beneficiar todos os cidadãos, protegendo e valorizando o patrimônio cultural do seu povo. Quando citamos um bom politico falamos do homem honesto e competente, que além de reunir essas duas qualidades, tem em si à vontade politica para resolver os problemas com ética. Um bom politico tem que ter dignidade, ser honrado, ter respeito com o povo, ter mais conhecimento das questões que aflige a sociedade, conhecer as questões comunitárias, ser eficiente no combate às dificuldades que a cidade e os bairros enfrentam.

   O bom politico sabe discernir as soluções que pretende implementar e assim comunica ao povo usando todos os meios ao seu alcance, colocando as suas decisões em debate para encontrar a melhor solução e assim atender ao maior número possível de pessoas de sua comunidade. É através desse diálogo que o bom politico encontra soluções de consenso que serão mais justas e adequadas.

   O mau politico é todo aquele que faz do governo um motivo para enriquecer e aos seus cupinchas, e não se interessa pelo patrimônio cultural do seu povo. O mau político sabe que as medidas que irá implementar são contra os interesses dos cidadãos, por isso esconde ou adultera a verdade usando todos os meios ao seu alcance, para calar as vozes dissonantes, tenta calar todos aqueles que denunciam os seus abusos. Um mau político aplica soluções inadequadas e provocadoras de discórdia e injustiças que apenas são caladas muitas vezes à custa de perseguições e intimidações.

   O mau politico tenta boicotar os meios de comunicação independentes e utiliza os meios que controla para ocultar a verdade aos cidadãos, mascarando as noticias, protegendo os seus interesses e de seus amigos, pois são esses puxa-saco que lhes dão suporte. Hoje o homem o povo vive a meio de desinformação, com uma educação precária e a síndrome da desconfiança em relação à politica e aos políticos, uma característica que é típica da maioria dos eleitores brasileiros. Em função disto é absurda a quantidade de oportunistas políticos ou políticos oportunistas no nosso sistema público. É difícil distinguir o bom politico do mau politico, e os oportunistas políticos terminam por prevalecer quando se fazem de bom moço, de pessoa interessada em ajudar uma comunidade e termina por enganar e lubridiar o eleitor que acredita estar votado na pessoa certa. Na concepção geral o “oportunista politico é um verdadeiro estelionatário eleitoral”. O mau politico tem o dom de agredir frontalmente o exercício da cidadania, subestima a inteligência e aniquila o desenvolvimento social do ser humano. E aquele que o pratica, usurpa a boa fé do seu próximo. Até hoje, não foi descoberto uma fórmula mágica para escolher um bom candidato politico.

   Mas podemos facilmente definir um mau politico. Basta analisar aquele que está ou já esteve no poder, verificar seus projetos, observar e estudar suas propostas de campanha, e se ele foi eleito, se ele concretizou as propostas, pesquisar se o esteve envolvido em corrupções e esquemas fraudulentos, agora fica mais fácil, temos a Lei da ficha suja. E ao perceber qualquer envolvimento suspeito, use a razão e não vote nunca mais nesse candidato. Outro cuidado é com os políticos demagogos, aqueles que durante o período eleitoral, inescrupulosamente, começam a aparecer em sua região valendo-se de falsas promessas e discursos falaciosos, tentando transmitir às comunidades uma falsa ideia da realidade. Esse tipo de politico aparece para enganar, fala aos cidadãos como se fosse amigo e depois os ignoram e se finge de morto/surdo.

   Portanto, analise bem se quem está no poder é um bom ou mau politico. Se não for um bom político não vote mais nele, troque-o.

   Votar é uma garantia de cidadania e liberdade de escolha, por isso veja o que os políticos atuais estão fazendo pela população e pela cidade. Exerça bem o poder do seu voto e escolha outro.

 

 

Voltar
free web counter