25 - A DECISÃO DA JUSTIÇA ELEITORAL SOBRE AS 3 ATAs DO PMDB

04/08/2012 10:52

25 - A DECISÃO DA JUSTIÇA ELEITORAL SOBRE AS 3 ATAs DO PMDB

         04.08.2012


    Justiça, colocado aqui no sentido social, é um valor em que ainda se pode confiar pois, embora por vezes criticada, ela fez uma demonstração de sua presença imparcial e marcante na questão das 3 ATAs do PMDB aqui em Várzea Paulista.

    Relembrando “en-passant” o que motivou toda essa questão, temos que o PV “tomou” o PMDB da base do PT, da mesma forma que o PT “tomou” o PDT da base do PV, conseguindo em 19/07 a mudança da Comissão Provisória que comanda o partido na cidade, contando com a interferência do Dr. Cláudio Miranda, de Jundiaí, a pedido do PV, nos assuntos locais do PMDB de Várzea Paulista junto ao Diretório Estadual do PMDB. Sentindo-se prejudicado por não ser admitido na coligação direta com o PV, o vereador João Victor, Bé, reagiu para garantir uma coligação que lhe permitisse disputar as eleições dignamente, e que no seu entender o PT é que lhe dá essa condição, considerando que o PV não lhe dava essa possibilidade.

   Portanto, concluída mais esta última etapa da disputa pelo PMDB, e seus 3 minutos de Rádio e TV na questão do PMDB temos a decisão da Justiça Eleitoral na sentença que decide a favor da ATA da Convenção do PMDB do dia 30/06 em Várzea Paulista, afixada no Cartório Eleitoral no dia 03/08/12 às 17:00h,

   Com a decisão fica desfeita a coligação PTC+PMDB, garantindo à coligação PT+PMDB+PTB os 3 minutos de rádio e TV a que o PMDB tem direito, e onde o vereador João Victor entende ter mais chances de se reeleger conforme suas expectativas.

 

  Como o Diretório Estadual do PMDB, em documento conjunto do Deputado Baleia Rossi e vereador João Victor, protocolado na terça-feira, 31/07, no Cartório Eleitoral, reconhece como legitima a ATA feita pelo vereador João Victor, Bé, no dia 30/06, como sendo correta e válida, fica claro a tentativa de evitar prejuízo maior ao deputado Baleia Rossi, em função de um acordo entre o dr. Cláudio Miranda de Jundiaí e o PV de Várzea Paulista. Com a decisão, anexada da declaração do PMDB Estadual, não cabe recurso e essa questão deve ser dada por encerrada.

 

   Isso tudo ficou feio para o PV, dr. Cláudio Miranda, deputado Baleia Rossi e Dr. Carlos Almir ? 

   Sim, ficou. E muito. Derrota como essa depõe contra todos eles, e pode ter comprometido a seriedade de todos em suas ações.

   Entretanto, o que se sabe é que essa questão começou a ser definida a favor da coligação PT+PTB+PMDB por ação do próprio Diretório Estadual do PMDB em S.Paulo, ao se darem conta do malfeito com a 3ª ATA feita a pedido do PV e dr. Cláudio Miranda de Jundiaí. Vamos procurar explicar isso, resumidamente, a seguir.

   O deputado Caruso entrou em contato com o Prefeito Eduardo T. Pereira na semana passada, que se reuniu com o Diretório Estadual dia 24/07 para formatar uma saída que não complicasse judicialmente o deputado Baleia Rossi por estar “presente” e ter assinado a ATA da “Convenção realizada” no Diretório Estadual, dia 30/06, que estava fechado e ele em São Joaquim da Barra/SP, conforme consta na sentença, pois isso tem implicações judiciais com características de crime eleitoral. Oras, como o dep. Baleia Rossi poderia estar presente em uma Convenção em S.Paulo se estava distante cerca de 300 km da mesma no mesmo dia e horário ?  Mas o PV afirmava que sim, que a Convenção feita pelo Diretorio Estadual era “legitima”.

    Bom, deu no que deu e, pior, não dá para esconder, nem tentar explicar que não foi um malfeito.

    Uma leitura atenta da sentença e da declaração mostrará as razões. 

    A parte mais reversa dessa história toda fica por conta de ter seu desfecho em plena campanha eleitoral do PV, pois o eleitor hoje está muito mais atento às ações políticas de todos os candidatos, e coisas desse tipo depõe contra o partido e suas pretensões eleitorais. As pesquisas deverão mostrar isso quando forem publicadas.

     Como remediar uma derrota dessa ? Fazer de conta que não tem nada a ver com isso ? Ou então que “abriu mão” para não "prejudicar" o vereador João Victor, Bé ?

     Oras, se foi uma idéia de alguém da executiva do PV, com poder de influência sobre os demais, colocando em prática uma iniciativa temerária com os riscos dessa envergadura, então certamente parece estar faltando profissionalismo, equilíbrio, coerência e prudência no comando do partido que poderia ter evitado essa calamidade terrível e desoladora. Não dá para imaginar como seriam no governo.

    Com essa perda da coligação PTC+PMDB, que era tudo o que nunca poderia ter acontecido ao PV, não há como deixar de pensar nos efeitos que a Síndrome do Serra já deve estar fazendo na campanha.

    A sentença e a declaração pode ver vista nos links abaixo:

     - Sentença da Justiça Eleitoral na questão das 3 ATAs do PMDB

     - Declaração Conjunta do deputado Baleia Rossi e vereador João Victor

 


 

 

Voltar