263 - TELHADO DE VIDRO DO GOVERNO

09/12/2013 13:21

* Compilado de diversas fontes

  Não é incomum constatarmos no campo da política local, que vereadores “apoiam” a administração municipal por alguma razão de interesse próprio. O problema é que não se dão conta que são observados pelos formadores de opinião e eleitores que os colocaram no poder. E aí vale a máxima: “Macaco não olha para o próprio rabo”. Esse tipo de comportamento fez a sabedoria popular firmar a frase: “Quem tem telhado de vidro, não atira pedras”. Mas se defender tentando fazer parecer que tudo o que recebem de criticas se trata de “inverdades” é, no mínimo, demonstrar pouco caso com os eleitores e opinião pública.

  Assim, em geral, esse tipo de atitude são características de indivíduos com personalidades narcisistas, que acreditam serem superiores, especiais. Normalmente são pessoas arrogantes, antipáticas, orgulhosas, egoístas, soberbas, frias emocionalmente e que não se importam com os sentimentos alheios. Nunca reconhecem suas próprias imperfeições e, por isso, mesmo projetam nos outros os defeitos que pertencem a elas próprias.

  Essas defesas que funcionam como mecanismo de autoproteção, acabam demonstrando uma forma de se protegerem e justificar suas fraquezas. Assim pretendem esconder a verdade sobre si mesmo. Quase sempre são pessoas inconsistentes e que se esforçam para parecer “certinhas ou bem intencionadas” ante opinião pública e eleitores.

  Importante refletir sobre esse ditado popular, porque se o seu telhado é de vidro, também pode ser atingido por pedras maiores das que você atirou contra o telhado alheio quando estava do outro lado, na oposição lutando para assumir o poder.

  Com certeza já se ouviu falar daquela expressão quando alguém faz algo maldoso: “Você é maquiavélico!”

 Para Maquiavel, a importância da política se consolida na potencialidade de garantir a unidade, a ordem, a segurança e a prosperidade de uma comunidade.

  É possível, tudo indica, que os métodos de Maquiavel não foram assimilados pelos nobres vereadores e governo municipal. A diferença é que o objetivo proposto por Maquiavel, que consiste na unidade política de uma comunidade, aqui em Várzea Paulista aparentemente é o contrário... há uma busca totalmente voltada para o consolidar o poder a qualquer custo, ou seja, nem que tenha que desmentir todo mundo, ou fazer de conta que não é com eles,  e ainda fazer disso os fins justificarem os meios como, por exemplo, manter uma funcionária da zoonose que não tem capacitação técnica para assumir responsabilidades que lhe foram dadas, que se sabe de muitas das “barbaridades” que já cometeu, e que não assume as coisas que faz segundo se comenta na cidade.

  Lembramos que Maquiavel disse ainda, que o político não precisa ser bom, mas apenas parecer bom. Dessa forma as qualidades éticas e morais se tornam simples instrumentos na luta pelo poder e o interesse próprio. 

  Mas, ser estilingue é fácil, o difícil é ser telhado, principalmente se o telhado é de vidro...

 

 

Voltar
free web counter