310 - JORNALISMO FAZ DE CONTA?

03/04/2014 08:43

  Dia atrás comentamos que os jornais locais estavam ignorando o movimento dos reivindicantes por moradia no Jd Paulista, e houve uma reação intempestiva e agressiva de uma proprietária de um dos jornais, que será devidamente tratado pelo editor do Blog. 

  Mas então, “ninguém” pode denunciar a omissão de noticia da imprensa jornalística, seja falada ou escrita ? Porque ? Tem ainda quem quer impor censura e calar as palavras que podem lhe desabonar ou não lhe agradam, ou que ainda desnudam como se comportam por omissão e/ou tendenciamento velado, seja induzida ou produzida ?

  Apresentamos abaixo um texto que trata também disso, escrito por quem tem muito mais credibilidade, e que sente na pele quando tentam lhe impor censura seja de que forma for:

  Sobre desabafos e o jornalismo do ‘faz de conta’

  Fonte: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/posts/view/o_desabafo_de_boechat_e_o_jornalismo_do_ldquo_faz_de_conta_rdquo#

  A docilidade com que a imprensa aceita o jogo dos participantes do poder político no Brasil é provavelmente a maior responsável pelo desencanto da opinião pública não só em relação aos jornais, mas em relação a quase tudo o que tem a ver com governos.

  O jornalismo que nos é oferecido diariamente ganha cada vez mais ares de um grande “faz de conta” em que a imprensa “faz de conta que informa” e nós, o público, “fazemos de conta” que acreditamos no que nos é passado como verdade. É cada vez maior o número de leitores e telespectadores que se preocupam mais em tentar captar o que está nas entrelinhas do que aquilo que é impresso ou dito por jornalistas profissionais.

  É claro que a complexidade dos fatos, dados e eventos dificulta enormemente o desafio de informar o público, nos tempos pós-avalancha informativa. Há dezenas de percepções, posicionamentos, vieses e interesses embutidos até mesmo nas notícias mais corriqueiras. São poucos os leitores e telespectadores cientes desta dificuldade. A grande massa do público culpa os jornalistas pelo “faz de conta”.

  Mas em nome da preservação do emprego e do status social, a atitude mais comum nas redações é também fazer de conta, agarrando-se ao discurso corporativo que associa críticas e agressividade contra jornalistas à ameaças contra a liberdade de imprensa. Na verdade, muitas pessoas querem dizer apenas que não aguentam mais o jornalismo “faz de conta”.

  A saturação com a hipocrisia está dando origem a uma onda de desabafos de todo o tipo de pessoas. Parece que nossa quota de tolerância chegou ao limite, como mostram as explosões de descontentamento popular materializadas nos protestos de rua desde junho. A sobrevivência de Ricardo Boechat na bancada do Jornal da Band ainda é uma incógnita porque o desabafo de seu principal âncora coloca TV Bandeirantes num dilema: se tolera as duras afirmações do jornalista, coloca-se em rota de colisão com o establishment politico de Brasília; mas, se afastar Boechat do seu posto, passa um recibo de autenticidade para tudo aquilo que ele botou na boca do trombone.

  Vejamos o vídeo onde Boechat aborda isso explicitamente, e em português bem popular:

  

 

Voltar
free web counter