319 - V.PTA.: DESOCUPAÇÃO DA INVASÃO NO JD. PAULISTA EMINENTE ?

26/04/2014 07:48

  Parece ser eminente sim... Se pode ou não ser considerado uma surpresa, o líder dos ocupantes da área do Jd. Paulista esteve no Batalhão da Policia Militar para tratar da desocupação pacifica do local da invasão.

  Segundo se comenta, foi sugerido ao líder que a desocupação fosse espontânea, e que o líder e a comissão  recusou e disseram que não vão sair por vontade própria. Foram informados que a desocupação pode ser a qualquer momento, e que só não ocorreu ainda porque nenhum promotor esteve disponível para acompanhar os procedimentos segundo lhes disseram. Isso leva a crer que podem estar investigando a documentação da área ocupada, se existem irregularidades e se os impostos estão em ordem, principalmente depois da reportagem de um jornal regional ter mencionado divida de IPTU, cerca de 1,8 milhões de reais devidos e atrasados aos cofres públicos municipais.

  Ora, se as coisas estão azedadas no diálogo entre governo municipal e reivindicantes por moradia, tem algumas que podem ser consideradas mal explicadas se levarmos em conta o que se espera em como vai ficar essa questão DURANTE e APÓS desocupação, que deve acontecer sem dúvida. Quanto a isso o governo municipal distribuiu ontem, 25/04, uma Carta Aberta à população na tentativa de se explicar e se isentar da questão, absolutamente Social, que lhe diz respeito diretamente, pois são eleitores também. Os srs. vereadores sequer se manifestaram sobre a questão publicamente.

  Durante os mais de 50 dias de ocupação o prefeito não conversou com os reivindicantes por decisão da equipe executiva, e é facilmente possível imaginar o porque. Um dos aspectos da decisão da equipe de governo foi “não expor” o prefeito, proteger a imagem dele, um outro aspecto que deve ser considerado pode dizer respeito a como ele se comportaria e reagiria em diálogo direto com o líder e a comissão, e como seria na presença dos manifestantes. Claro, ao contrário do se esperava isso desgastou a imagem do prefeito a níveis quase irreparáveis eleitoralmente, principalmente na região norte que lhe garantiu a eleição.

  Sabe-se que o líder e a comissão dos reivindicantes conversaram também, após de saírem do Batalhão da PM, com o secretário da Ação Social, duas vezes ontem mesmo, 25/04, o impasse quanto a saírem espontaneamente não foi resolvido e sabe-se tem uns e outros reivindicantes estão dispostos a NÃO sair. Como vai ser só Deus sabe, dizem os que acreditam em milagres de última hora, que as vezes acontecem... Acontecem ? Vamos ver... 

  Enquanto isso o sindicato dos funcionários públicos municipais está considerando uma possível greve... (veja no sinal de fumaça).

 

 

 

 

Voltar

Pesquisar no site

BVP © 2012 Todos os direitos reservados.

VárzeaPaulista/SP