367 - V.PTA.: AS INVASÕES DE TERRAS NA REGIÃO DO MURSA

12/08/2014 13:56

  Como foi publicado no sábado, no Sinal de Fumaça aqui do Blog, a nova invasão na região do Mursa está mesmo para uma briga de “cachorro grande”. Uma das terras invadida deve ser na parte da promeca, uma área de mata densa que pertence a dois desembargadores e um juiz. Já foi pedido a desapropriação judicial.

   Outras terras seriam de duas famílias tradicionais, e não se sabe se a justiça já foi acionada para essas outras áreas ocupadas. Um comentário atribuído ao líder da ocupação, supostamente aos GMs que foram até os locais, diz que ele vai trazer muitas famílias para as ocupações. De qualquer forma, a policia civil já o levou para a delegacia para B.O., como foi feito das outras vezes, sendo liberado a seguir.

   Quanto ao governo, já está se mobilizando para realização de uma reunião para tratar do assunto das invasões, com a participação das autoridades judiciais:

   - Juíza da cidade,

   - Promotores de justiça,

   - Prefeito,

   - CPFL (ref. furto de energia),

   - Sabesp,

   - Polícia Civil,   

   - Polícia Militar,

   - Defesa Civil,

   - Secretaria do Meio Ambiente...

   Bom, muitas informações estão ainda no terreno das especulações, outras desencontradas e outras carentes de consistência, mas o que importa mesmo saber é: como isso vai ser resolvido e se vai ser resolvido com reuniões sem a participação de representante dos invasores, que reivindicam moradia a preço popular. Sabe-se que foi feito promessa pelo governo neste sentido, mas não se tem noticia concreta de algum projeto em andamento na prática: só nas intenções, nos discursos e nos argumentos oficiais.

   Isso não é bom para o mercado imobiliário da cidade, já que desencoraja investidores potenciais e ainda desgasta profundamente o governo, que vêm tratando do problema homeopaticamente quando o doente apresenta sintomas agudo e um quadro crônico de instável a pior. Isso pode significar que em 2016 vai desembocar em uma inevitável e irreversível rejeição ao atual governo, tal qual aconteceu com o governo anterior do PT com participação deles mesmos quando estavam na oposição. Uma coisa é dizer, outra é fazer... ganhar tempo parece não ser uma boa estratégia nesta complicada questão social, e o cenário observado pode se agravar ainda mais...

 

 

Voltar