417 - V.PTA.: FRANGO, CASTRAÇÃO E GATO

28/11/2014 08:21

   Enquanto os vereadores, dois na verdade, se desentendem e estressam os bastidores da Câmara Municipal na ultima terça-feira, 25/11, praticamente na base de ameaças tipo “tenha cuidado”, "também sou macho", etc., mais duas “historinhas”, daquelas “o gato comeu” e “cadê o dinheiro”, já circula solta na opinião pública. É o seguinte, conforme recebido via inbox no facebook, seja verdade ou não:

   Como numa fábula, mas sem moral da história, frangos e cachorros/gatos são a história da vez, e as línguas injuriadas perguntam: onde foi parar os 70 kg de frango que seriam destinados para alimentação dos atletas durante os jogos regionais (dizem que “sumiu” sem mais nem menos), e também a verba repassada, cerca de R$30.000,00, para ser utilizado na castração de animais pela Zoonose, que “inexplicavelmente ninguém sabe e ninguém viu” para onde foi, se é que foi...

   Será que o frango era “à passarinho” e saiu voando para abastecer uns e outros ? E o dinheiro da castração, quem sabe onde foi usado”? Essa as questões envolvendo de novo o governo, que por diversas vezes disse que não ter dinheiro nem para comprar remédio para gente quanto mais para cachorro e gatos. Isso é o que o eleitor está se perguntando, já que estamos tão próximos das festas de fim de Ano e os remédios CONTINUAM em falta nas farmácias da saúde pública e no hospital da cidade: mas então, onde foi parar os 70kg de frango para os jogos regionais e o dinheiro destinado à castração?

   Seria só mais uma história se isso não fosse o retrato do que dizem estar acontecendo em algumas secretarias do governo municipal, ou seja: licitações aparentemente com vícios e suspeitas de malfeitos com o dinheiro público.

   Já vimos um pouco de tudo nesse atual governo, já não bastasse o que acontece na CEMEB Paulo Freire no Jd Promeca, agora essa. Ninguém aguenta mais noticias de mau uso da máquina administrativa. O povo está se perguntando qual é a importância dos gestores públicos na administração dos impostos que todos os meses pegam dos nossos bolsos, como por exemplo o IPTU ? Esse mal uso pode resultar em improbidade administrativa e até cassação de mandatos daqueles que deveriam cuidar do dinheiro público e dar o exemplo. Mais do que isso, evitar gastos desnecessários que oneram ainda mais os cofres públicos.

    “E foram felizes para sempre”. Essa é a frase que costuma marcar o final dos contos de fada e traz um alívio para quem acompanhou a história. Na vida real existem, e muitas vezes o final feliz está longe de chegar ou não chega nunca na administração pública. Personagens reais e problemas reais estão todos os dias a nossa volta e pelas ruas da nossa cidade, enquanto o descaso com o dinheiro público fica numa linha tênue entre o real anseio do povo e o imaginário das promessas de campanha, sem contar a falta de “decoro”, “decoro” esse que parece ser ignorado e praticamente extinto entre os eleitos da atual administração municipal aqui de Várzea Paulista (prefeitura e câmara).

   E o moral dessa história, se é que tem ou possa ter ? Mas, é só uma história "inventada" e circulando na opinião pública ?

 

 

 

Voltar