457 - O USO DO FACEBOOK NA POLÍTICA

04/05/2015 20:58

   Desde a campanha eleitoral 2012 aqui em Várzea Paulista, tem-se visto nas redes sociais, em especial no Facebook, um uso pessoal para fins políticos dos prováveis pré-candidatos a cargo eletivo para as eleições 2016. Não deixa de ser uma opção, um meio de chegar praticamente em tempo real ao eleitores em potencial, de ser visivel e presente na vida de quem usa a rede social. Vejamos uma abordagem orientativa para quem faz uso deste meio de comunicação de massas para ter visibilidade política:

Abordagem de André Ferraz

Fonte: www.politicaparapoliticos.com.br

Cada mídia social tem suas características próprias pelas oportunidades de interatividade e relacionamento que ele oferece. Basta comparar Facebook e Orkut para perceber grandes diferenças. Embora possuam a mesma lógica de relacionamento em redes de amigos suas funcionalidades e praticidades são diferentes.

A natureza social dos sites de relacionamento faz com que normas de conduta e convívio sejam informalmente estabelecidas. Certos comportamentos podem ser aceitos em uma rede social e rejeitados em outras.

O “linked in”, por exemplo, é uma rede de contatos profissionais, nela a solicitação de amigos não é adequada, uma vez que não está de acordo com o uso para o qual essa rede foi planejada. Por esta razão, há normas de etiqueta que podem variar de rede para rede, bem como incorporarem características da cultura própria de cada uma.

Em resumo, adapte-se às praticas sociais de cada rede.

Algumas recomendações para o uso do Facebook

Um perfil no Facebook não substitui um site
Seu site deve ser o seu endereço virtual de campanha. Você pode e deve estar presente em outros sites e redes sociais, mas é o seu site que possui recursos para centralizar toda sua comunicação. O Facebook é um espaço complementar no qual você deve participar e que estará representado em seu site.

Perfil ou página?
No Facebook, o ideal é você ter seu perfil pessoal e uma página de sua candidatura. Dessa forma você evita que seus eleitores participem de sua vida privada. Aos seus eleitores não interessam os posts do seu sobrinho, mãe ou sogra. Sempre que possível, mantenha os dois e promova na sua página de candidato a sua candidatura. Seus amigos certamente irão apoiá-lo.

Curtir, comentar, compartilhar
No Facebook você busca ampliar a sua rede de relacionamento e motivar seus amigos a promover virtualmente sua candidatura e propostas. Os internautas podem interagir com os posts que você publica, curtindo, comentando e compartilhando. Em todas essas ações, tanto sua lista de amigos, quanto a lista de amigos dos seus amigos ficam sabendo dessa participação, mas os resultados são diferentes. Vejamos:

• Curtir exige um envolvimento mínimo e o resultado é apenas uma lista das pessoas que também curtiram seu post.
• Quando alguém comentar uma mensagem sua, o Facebook apresentará alguns outros comentários e o restante também ficará disponível em uma lista que deve ser clicada para poder ser lida. No entanto, nestes casos o envolvimento é maior, a pessoa expõe a opinião dela ao comentar o seu post.
• No caso do compartilhar a pessoa endossa sua mensagem. Ela será transcrita integralmente no mural dela e ficará visível a todos os amigos dela.
Seu objetivo deve ser motivar as pessoas a compartilhar os posts que você publicou. Dá maior visibilidade e vincula esse eleitor com a sua campanha.

Em todas as oportunidades de interatividade e relacionamento que você oferecer online pense que há níveis de envolvimento que as pessoas se dispõem a ter em relação a você e a sua campanha. Você deve liderar essa rede de apoiadores. Deverá permanentemente estimulá-los (sem constranger) a se envolver mais intensamente. Ofereça oportunidades, estimule e valorize a participação de seus apoiadores.

Mantenha a coerência
Sua atuação no Facebook, sua mensagem de campanha e sua identidade visual devem ser coerentes entre si, afinal você não é um no Facebook, outro no seu site e um terceiro pessoalmente. Incoerências dessa natureza levam o eleitor a desconfiar de você.

Atenção aos números de popularidade digital
O número de amigos do seu perfil pode trazer uma falsa impressão de popularidade e apoio. Seus amigos do Facebook não são unicamente seus amigos. Eles podem fazer parte da rede de um adversário seu. Da mesma forma, boa parte de seus amigos podem já ser seus eleitores. Você deve estar em busca da ampliação de sua rede de contatos. Por isso, não se acomode, mesmo que tenha um perfil lotado. Aceitar ou pedir para ser seu amigo não compromete ninguém a votar em você. Busque envolve-los com sua campanha. Quanto maior for a participação, maior será o vinculo deles com a sua candidatura.

Esteja presente, seja o anfitrião de sua rede de amigos
As redes sociais são espaços sociais. Tenha um comportamento social nela. Cultive esse relacionamento como se fosse o convidado de uma festa. Esteja atento a seus amigos, responda prontamente suas perguntas, mas não os sufoque. Deixe-os à vontade para interagirem entre si. Os laços que eles criarem em torno da sua campanha os vinculam mais intensamente com a sua candidatura. É proveitoso que se sintam parte da sua campanha.

Compartilhe seus ideais, objetivos, conquistas e bastidores da campanha
Ao compartilhar suas convicções e objetivos nas redes sociais você poderá se conectar com sentimentos comuns de seus eleitores e atingir aqueles que ainda não estão convencidos a votar em você. As conquistas apresentadas com moderação demonstram o crescimento da candidatura e os bastidores da campanha mostram o lado humano e informal do candidato.

Transforme apoiadores “virtuais” em apoiadores do “mundo real”
Curtir um post no Facebook é muito fácil, fazer parte da campanha, comprometer seu tempo e energia em uma campanha é bem diferente. Esse é o passo crucial a ser dado.

A maior parte das pessoas não sabe como pode ajudar na campanha. Você deve mostrar a eles como podem ajudar e você deve liderar, estimular e envolve-los na sua campanha.

Uma vez que a mobilização online está criada, deve ser mobilizada a participação “off-line”, ou seja, fora da internet. Use as redes sociais e a internet para envolver seus eleitores em sua campanha. Podem ser ações virtuais coordenadas por sua equipe, podem ser ações espontâneas de seus apoiadores munidos da orientação e mensagem que você quer que seja divulgada.

Ao mobilizar sua rede de relacionamentos virtuais em eventos presenciais, comícios, jantares, passeatas você estará comandando uma verdadeira força eleitoral.

 

 

Voltar