468 - E A OPOSICAO EM VARZEA PAULISTA ?

15/06/2015 12:21

   Em meio às criticas da oposição, o prefeito aqui de Várzea Paulista esteve presente domingo de manhã, 14/06, em frente ao Bco. do Brasil prestigiando a distribuição gratuita de mudas de orquídeas e plantas nativas à população, como parte da comemoração da semana do Meio Ambiente na cidade, que começou quinta-feira dia 11/06, e terminou dia 14/06, domingo. 

   Como nem tudo o que se passa nos bastidores, a partir da equipe executiva, chega ao conhecimento do prefeito, é normal que “ninguém” fique sabendo o que se passa em algumas secretarias, e em alguns casos se consegue avisá-lo. A questão parece ser em como administrar a prefeitura com muitos compromissos políticos, alguns ou a maioria assessores, oportunistas e bajuladores criticando e até trabalhando contra, que não querem largar o osso de jeito nenhum. Comentários e especulações se ouve em quase toda parte e na opinião pública, e não são poucos a partir desses. Tem quem diz que o prefeito precisa ter mais pulso. 

   As obras públicas estão em andamento, e se vai ficar prontas antes das eleições parece não ser o caso e já não dá tanto para "bater" nessa tecla, e na falta de opção a "oposição" se apega nos comentários dos que estão torcendo contra o governo, dos querem o poder pelo poder, esquecendo que o governo não é só o prefeito, mas também a equipe dele e dos vereadores eleitos. Uma das falhas governo também está da Comunicação, que se esforça em mostrar que o governo está em ação, fazendo acontecer, etc., mas usando de artificios onde nem tudo é como o governo diz que é, e nem como a "oposição" diz que vê o que pensa que vê e acusa levianamente. O que se vê hoje é um esforço da “oposição” em mostrar os defeitos e falhas do governo, e o governo em se defender como no caso da casa Transitória e na Ação do sindicato, nas reivindicações da Guarda Municipal, pedindo destituição do mandato do prefeito e dois secretários. Isso importa à população que precisa de de medicamentos nas UBS, transporte público eficiente, canalização de esgotos ao ar livre, etc.?

   Está certo que isso é parte de como funciona uma democracia, mas não do jeito que está acontecendo aqui na cidade. Oposição é o peso na balança que deve dar equilíbrio ao governo municipal, mostrar os erros, propor soluções, e não tentar derrubar  o governo, exceto se o governo for incompetente, não atende as necessidades da população e/ou a corrupção no governo é visivelmente desenfreada.

   Bom, as eleições será ano que vem, 2016, logo, a abordagem que envolva esse tema é importante, sobretudo para interagir com o eleitor. Sabe-se que nas democracias é o povo quem detém o poder soberano sobre o poder legislativo e o executivo. Nas democracias representativas, os eleitores elegem seus representantes. Com efeito, os eleitos é que governam em nome do povo, ou ao menos assim deveria ser, logo, para que a democracia seja efetivamente representativa, os eleitos devem representar os mais variados segmentos da sociedade, daí a importância da oposição. Governo sem oposição não é democracia, para não dizer ditadura disfarçada. 

  O peso (governo) e o contrapeso (oposição), ou se quiser o contraponto, deve ser democrático. O fiel da balança é o eleitor, e não uma oposição do "quanto pior melhor", mas que seja uma oposição pro-ativa, responsável e voltada para a defesa dos interesses da sociedade. Por melhor e bem intencionado que seja o governante, sempre haverá o risco do excesso, e que, muitas vezes, pode ocorrer até mesmo na busca do acerto. O poder, como a prática tem demonstrado, na maioria das vezes, quando não convence, corrompe. 

   Por outro lado, não se nega a importância do judiciário, do Ministério Público no controle do excesso praticado pelos governantes, mas o papel da oposição nesse sentido também é inegável e na maioria das vezes, preventiva, cortando o mal pela cabeça. O debate com uma oposição forte é importante, pois, em face do que ainda que não evita o mal, ao menos pode amenizá-lo. A rigor, quem estabelece o diálogo é a oposição. 

   Muitas vezes não se nega a importância social da medida que o governante pretende implantar, mas o questionamento pode envolver outros aspectos, como por exemplo, a oportunidade, a conveniência, ou até mesmo a metodologia utilizada ou até mesmo para melhorá-la. É certo que ninguém é dono da verdade absoluta, nem mesmo o detentor do poder eleito pela grande maioria. A relatividade das coisas está sempre presente. Para que a decisão seja a mais razoável possível, deve-se analisar as diversas faces da questão, onde, em cuja discussão, a participação da oposição é fundamental. 

   Parece que não há dúvida de que a oposição está para a democracia como o médico está para a saúde. Com efeito, ao invés de combatê-la, o ideal é que fosse motivada e aplaudida, salvo quando seu propósito for o do "quanto pior, melhor".

   Mas, quem lucra com o "quanto pior melhor" ? Seriam os oportunistas ? Os que querem o poder pelo poder a qualquer custo ? O que se vê nos jornais aqui da cidade recentemente não indica direção democrática, parece mais um serviço para quem gosta do "do quanto pior, melhor". Há quem diga ter envolvimento de quem já está no poder em busca de mais poder. Isso não é oposição e nem ambição, é ganância segundo diz quem entende de política.

   E tudo isso faltando ainda 1 ano e 3 meses para as eleições 2016...

   O que o eleitor pensa disso ?

 

 

Voltar