480 - V.PTA.: O EFEITO PADOK NAS PESQUISAS DE OPINIÃO PUBLICA HOJE

09/07/2015 08:03

   O que todos os pré-candidatos já admitem, já é consenso e se movimentam em função disso, é que o empresário e pré-candidato a prefeito Padok foi quem deu inicio ao processo pré-eleitoral e antecipou em mais de um 1,5 ano a pré-campanha para prefeito 2016 aqui na cidade, seguido pelo também empresário Osmar Donizete que já foi vice do Clemente nas eleições de 2012.

   Ora, isso se iniciava visivelmente no ano das eleições a partir do mês de março, e só depois das Convenções Municipais em junho que os candidatos indicados pelos partidos e alianças iam para a “luta” pelos votos, a partir de julho até as vésperas das eleições. Entretanto, isso já está visível hoje, provavelmente desde abril/2015 quando foi divulgada a 2ª pesquisa encomendada pelo empresário, e também em função de ter intensificado os contatos diretos e constantes com a população. 

  Quanto a isso, os profissionais políticos que estavam de certa forma acomodados, já estão se movimentando também para procurar preservar os espaços políticos que, tradicionalmente, julgam ter tanto nos bastidores como fora dele.

  E porque ? Porque o empresário Padok está ativamente se mostrando ao eleitorado justamente por ser ele o único desconhecido dos eleitores, pois até então não se envolvia na política daqui da cidade e nunca foi candidato a cargo eletivo em qualquer das eleições anteriores. Portanto, ele mede seus esforços através das pesquisas de opinião pública, e isso tirou da tranquila inércia os demais possíveis pré-candidatos, incluindo o prefeito atual. Até em então havia um consenso político eleitoral, quase uma regra/tradição, de se começar as movimentações só no ano eleitoral, mas que hoje não existe mais e uma provável sensação de insônia pode estar rondando uns e outros, sutilmente ou não.

   Bom, ontem, 08/07 - quarta-feira, publicamos a pesquisa feita a pedido do PT local, incluído de alguns dados incompletos comentados pelo ex-prefeito Eduardo por telefone no mesmo dia que anotamos os números do PT local. O ex-prefeito não tinha os dados principais em mãos, mas tomou a iniciativa de nos enviar através de sua assessoria de imprensa as fotos dos itens principais da pesquisa, informando também que faz parte de um grupo do PT aqui em Várzea Paulista, provavelmente o Grupo Zumbi dos Palmares, e que o grupo tem a intenção de lançar candidato à prefeitura em 2016, que o nome dele está colocado como um dos possíveis candidatos e que ele tem disposição para isso.

  Em uma avaliação despretensiosa, sinceramente, a quem interessa as pesquisas hoje, há 1,5 ano das eleições 2016? Pesquisas de intenções de votos só vai importar MESMO a partir de maio/2016 em diante para saber quem está melhor colocado na opinião pública para ser indicado pelo partido/aliança, e depois como o candidato está se saindo na campanha eleitoral, e no final para o eleitor decidir em quem vai votar (tem os que votam só naquele que está na frente).

  Portanto, hoje, as pesquisas só interessam, e podem ser válidas, a quem está se lançando pela primeira vez ao cargo majoritário se for desconhecido publicamente dos eleitores, e também de como o governo municipal está sendo avaliado pela população. Portanto, prioritariamente, encomendar pesquisas hoje atende e são de grande interesse do empresário Padok, para medir seus esforços, e do prefeito Juvenal, como qualquer outro prefeito que pretende ser reeleito, com base na avalição popular do seu governo, ou seja: se é ou não bem avaliado.

   Quanto aos demais pré-candidatos, ou se interessam saber como estão diante do eleitorado para acertarem estratégias antecipadas, fazendo pesquisa própria como o caso do PT, ou usam os dados de quem faz as pesquisas para ter uma ideia de como estão no cenário eleitoral futuro.

   Claro, nem todos estão satisfeitos com o que é divulgado, entendendo-se que nenhuma das pesquisas foi ou está registrada no cartório eleitoral, e só servem apenas como pré-indicadores a quem encomenda, tipo assim com o mesmo valor de uma Enquete.

   Uma certa previsão futura, de alguns experts da política local, parece certa: até final de junho/2016 tem muita coisa a ser definida, e só nas Convenções Municipais partidárias é que começa o verdadeiro jogo eleitoral. Antes disso, nestas preliminares, um paliativo para os que sofrem por antecipação é o uso de um calmante suave, tipo o de maracujá. Em março, quando os bastidores eleitorais já entram na fase “agora é prá valer”, a insônia certamente deixa de ser sensação e pode passar a ser real e, nesse caso, o calmante deverá ser outro...

  Veja abaixo as imagens da pesquisa de opinião pública que o ex-prefeito Eduardo havia comentado com o Blog (não nos informou quem encomendou, mas que apenas mostraram a ele):

 

 

 

Voltar