494 - CONTAS 2011 DO EX-PREFEITO EDUARDO REJEITADAS NA CÂMARA MUNICIPAL

12/08/2015 10:10

   Por 7 votos a 4 os vereadores reprovaram na sessão publica de ontem, 11/08, na câmara municipal, as contas 2011 do ex-prefeito Eduardo. Era o esperado, e assim foi. A “surpresa” ficou por conta dos dois vereadores do PT, Sueli e Juarez, votarem a favor da aprovação das contas conforme orientação da bancada, para não correrem o risco de perderem o mandato por infidelidade partidária, mesmo contrariando o desejo do governo de que votassem contra. Como vai ser daqui para a frente não se sabe exatamente, mas para preservar o cargo de vereador não tiveram dúvidas de votar a favor.

   A sessão começou às 19h e foi direcionada para a votação das contas do ex-prefeito. Nos discursos na tribuna, no expediente, o vereador Ivan Sada admitiu que “político não rouba, político desvia”, elogiou o ex-prefeito Eduardo como um ótimo prefeito, mas criticou a equipe executiva do governo anterior sem deixar de “avisar” o atual prefeito. Claro, escolheu com cuidado as palavras ditas.

   Após os poucos discursos na tribuna, com declarações de rejeitarem as contas, o presidente da câmara propôs pausa de 10m, mas foi descartada com aprovação de todos após o vereador Ivan propor que não houvesse o intervalo. A seguir o presidente da Casa de Leis deu inicio à pauta do dia, ou seja: votação das contas do ex-prefeito Eduardo. A Mesa leu o Parecer do Tribunal de Contas do Estado, que DESAPROVOU as contas do ex-prefeito Eduardo. A seguir a Mesa leu o Parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação do legislativo, propondo a rejeição das contas.

   Antes de colocar em votação, o presidente do legislativo convidou publicamente o ex-prefeito a fazer sua defesa na Tribuna, mas que não estava presente, ou algum representante autorizado. Como ninguém se apresentou, colocou as contas em votação única. Após a votação, as contas foram REJEITADAS por 7 votos contra e 4 a favor. Os 4 votos a favor foram da bancada do PT. A sessão foi encerrada a seguir.

   Bom, especulando em uma avaliação superficial, talvez nem tanto, a sessão de ontem pode ter deixado algumas prováveis lições a serem levadas em conta pelos políticos locais, principalmente pelo atual prefeito:

   Lição 1 – Confiar no político que “garante” estar apoiando: Dos 11 vereadores do atual mandato, 7 foram reeleitos com a ajuda do ex-prefeito Eduardo que propiciou as condições, principalmente financeiras segundo os bastidores, para que pudessem ir para a campanha eleitoral 2012 e “conquistar os votos” para serem reeleitos. Foram ingratos ontem? Tem muitos dizendo que foram, e como também dizem que hoje certamente devem estar fazendo a mesma coisa com o atual prefeito, que também, certamente como o anterior, acredita que o “apoiam”.

   Ora, tem uma certa dose de verdade nisso pois, se fizeram com o ex-prefeito do PT, porque não fariam o mesmo com o atual ? E mais, se outros já fizeram isso com outros ex-prefeitos anteriores então pode ser o “jogo” político de sempre, ou seja: a mesma coisa de sempre. Mas, DEPENDE, dizem os que gostam de se explicar como sendo “correto” e fazendo a “coisa certa”. Para quem ?

   Lição 2 – O “preço” do apoio: Por mais “honesto” que diga quem insiste em dizer que é, isso não existe na política de hoje quando se trata dos interesses pessoais acima de tudo, e de se garantir para o futuro. Nessa questão, é raro os políticos entenderem o fator “lealdade” quando se dispõe a fazer “acordos”, porque quando o fazem é sempre por interesse próprio e isso tem um “preço” que muito raramente é retribuído ou pago.

   O Ex-prefeito Clemente é um dos que hoje sabe muito bem como é isso, e agora é a vez do ex-prefeito Eduardo também saber. Ambos aprenderam pela mágoa, pois confiar e ser traído é “normal” e uma das maiores mágoas na política que se pode sentir, pois “lealdade” na política só existe enquanto o interesse de um lado é atendido pelo outro. No caso em questão o prefeito é o lado que “precisa” do “apoio”,  enquanto tiver o poder na mão para dar o que eles querem em troca. E mais: comenta-se nos bastidores que as contas 2012 do ex-prefeito Eduardo não serão apreciadas em 2016, e sim as do atual prefeito Juvenal. Seria uma forma de se "garantirem", perguntam uns e outros...

   Lição 3 - Quem tem o que perder tem medo: Os 2 vereadores do PT, que vinham votando com o governo já com passagem de ida para outro partido, recuaram no “apoio” ao governo para não correrem o risco de perder o mandato. De certa forma, teve quem viu nessa atitude o que realmente importa para eles: continuar apoiando e votando conforme orientação do governo, ou se garantir no mandato ? Escolheram a 2ª opção, o que aparentemente mostra para muitos o que realmente importa para eles: o cargo. Agora eles não tem mais como esconder isso dos eleitores. Bom, tem que diz que o governo já sabia que as contas seriam reprovadas e "liberou" os 2 para votarem seguindo a orientação do PT.

   Lição 4 – Reeleição em 2016: É uma faca com corte dos dois lados, pois se o prefeito for reeleito devem continuar no poder, mesmo não se reelegendo. Se o prefeito não for reeleito e um outro assumir, bom... aí a conversa é outra e alguns vão “aderir” ao novo governo sem o menor pudor ou constragimento.

   Agora imaginem se o prefeito a ser eleito em 2016 for o ex-prefeito Eduardo... 

 

 

Voltar