53a - O ELEITOR E O VOTO – 1

12/09/2012 08:32

   Para o eleitor!

   Aos indecisos, e aos que pensam votar em branco ou nulo

   Nas últimas semanas temos visto uma verdadeira “guerra” pela conquista do seu voto caro eleitor. Ao longo desse período o eleitor certamente teve a oportunidade de ver e comparar propostas apresentadas. Chegando na reta final de uma campanha, espera-se que o eleitor já saiba em quem votar. Em Várzea Paulista estima-se 78.000 eleitores aptos a votar, mas dados de pesquisa informais revelam que boa parte desses eleitores já tem candidato, outros com a intenção de votar nulo e em branco, enquanto cerca de 40% ainda permanecem indecisos. A sorte está em curso na linha do tempo. Os candidatos agora têm muito que correr para conquistar o voto dos indecisos e dos que pretendem anular o voto. 

   É provável que até o dia da eleição muitos eleitores ainda estejam desmotivados por não acreditarem mais nas falsas promessas nem nas propostas dos candidatos. Alguns desses eleitores certamente irão às urnas apenas pela obrigatoriedade do voto. Isso é bastante preocupante, pois sabemos o quanto custou resgatar o direito ao voto depois de tantos anos vividos no período da ditadura.

   É verdade que os candidatos precisam reavaliar suas propostas, suas posturas e seus valores, talvez até tenham tempo ainda. Essa falta de motivação do eleitor deveria servir de aviso. Contudo, embora sejamos obrigados a reconhecer que a conduta de alguns dos nossos representantes desestimula o eleitor, entendemos que é preciso votar. Não podemos pensar que todos os candidatos são iguais. É preciso saber escolher e isso exige consciência política.

  O eleitor consciente é aquele que

- conhece a história dos candidatos e dos partidos,

- analisa as propostas,

- não vende seu voto e

- reconhece o seu direito de votar livremente.

   O eleitor deve saber que ser cidadão significa participar ativamente e refletir sobre as ações e atitudes dos seus representantes. Deve entender que votar é um meio de participar, influir e assumir responsabilidade na vida política do país. Sabe que não basta votar, pois compreende ser preciso votar conscientemente, estando seguro de que o seu candidato será o melhor para o progresso da nossa cidade. 

   Cada um de nós precisa assumir seu voto como instrumento de luta pela consolidação dos princípios democráticos. Sendo assim, senhor eleitor, fica aqui a recomendação: no dia 7 de outubro, não vote em branco nem anule o seu voto. É hora de votar. Vote consciente. Não venda seu voto de jeito nenhum.

   Escolha candidatos que sejam dignos do seu voto. Eleja representantes, cujas propostas mostram o compromisso do candidato para com os anseios da população e com uma postura ética para a política municipal. 

   Agora é o momento da reflexão final, especialmente você eleitor(a) indeciso(a). Enquanto 7 de outubro não chega pense muito e com cuidado para não errar, para não desperdiçar seu voto em quem não merece ser seu representante no governo !

O político não deve esquecer que o eleitor é sensível e vota no candidato que trabalha com seriedade e oferece melhores promessas de condições de vida, emprego, saúde, educação, moradia, etc. Se você, eleitor, sentir que seu candidato não irá cumprir as promessas ou que pode agir com descaso para com o seu voto depois de eleito, mude o voto sem o menor pudor... É o seu desabafo, é o troco!

Eleitor, vote com cuidado, valorize seu voto, voce pode decidir a eleição!

  

 

 

 

Voltar