611 - V.PTA: SAÚDE PÚBLICA, O PREFEITO E AS ELEIÇÕES - Parte 2

28/06/2016 08:59

   Conclusão da Parte 1: 

  Bom, temos o governo fazendo filminhos e matérias nos jornais para divulgar nas redes sociais e mostrar que está “reconstruindo” a cidade, coisa que o eleitorado não entende e não acredita com a crise crônica da falta de medicamentosfila de espera e demora no atendimento médico e exames nas UBS, e agora uma UPA novinha em folha entupida de pacientes para serem atendidos logo no primeiro dia, tal qual era no hospital. E mais, conta com a "anuência" de 8 vereadores que apoiam o governo e que participa da mesma encenação do jogo do faz-de-conta. O governo municipal quer  fazer acreditar, mas não está funcionando junto ao eleitorado.

   Também não funciona porque o prefeito tem a base comissionada contratada para tentar garantir a reeleição, sacrificando e irritando muitos funcionários efetivos, e com todos ouvindo que o governo não tem dinheiroe não deve ter mesmo, mas que consegue pagar os salários dos mais de 2.200 funcionários públicos, coisa de quase 8 milhões de reais por mês, em uma arrecadação de 15 milhões mensais em média, sobrando apenas 7 milhões para pagar TODAS as demais despesas para o governo funcionar, incluindo: materiais limpeza, higiene, energia elétrica, telefones, gasolina para a frota de veículos, manutenção patrimonial e de infraestrutura, medicamentos, ações sociais, esportes, cultura, educação, etc., etc...

   Promover a mudança política e social é possível aqui em Várzea Paulista, e os grandes homens públicos (eles existem!) têm obrigação de pensar mais, melhor e mais longe. Mas, ponha-se no lugar do atual chefe de governo municipal, cercado de pessoas também como ele e, claro, contando principalmente os ineptos, oportunistas e bajuladores. O que de bom, de sensato e competência tem para ser visto e admirado no governo? Dificil enxergar isso. Entretanto, há 2 ou 3 secretários que sabem fazer o que deve ser feito mas ficam "travados" por conta dos demais que "pressionam" o prefeito, segundo se ouve nos bastidores. Aliás tem 1 ou 2 deles que já são vistos como a "eminência parda" do governo municipal, ou seja: os que influenciam sem ter posição de comando, os que manobram nos bastidores e tem a confiança do governante ou chefe...

  Então, temos o prefeito repetindo durante todo o mandato que não tem dinheiro e o que consegue fazer é com dificuldade e Deus no comando, mas contratando comissionados, e um legislativo preocupadíssimo com seus interesses. A questão é que o executivo e o legislativo não conseguem se dar conta da imensa e quase intransponível distância que eles mesmos colocaram entre eles e os eleitores e, pior, com a opinião pública desacorçoada com todos eles

  Não percebem que os eleitores estão injuriados e desgostosos com os votos que deram a eles confiando em na mudança prometida, do sonho prometido, mas que não aconteceu. E os eleitores que já acordaram deste sonho de mudança baseado em fantasia para ganhar a eleição? Ainda estão sonhando o sonho prometido sem ver acontecer mudança de verdade? Os eleitores vai continuar sonhando esse sonho de mudança que não acontece?

  Bom, e o prefeito com isso? É o que se ouve na opinião pública nestes 3,5 anos de mandato. A opinião pública tem perguntado para que serviu esse governo de "reconstrução”?  O eleitorado está engolindo isso, ou não? Em todo caso as perguntas são: 

  1) A U.P.A., QUE DEVERIA TER FICADO PRONTA EM NOVEMBRO DE 2014, E QUE FOI INAUGURADA SÓ AGORA DIA 25/06, ÀS VESPERAS DAS ELEIÇÕES... É UMA JOGADA ELEITORAL OU NÃO? 

  2) A UPA vai ser suficiente para reeleger o prefeito e os vereadores que o apoiam, ou não?

  3) O prefeito e os vereadores conseguirão ser releitos, ou não?

 

 

Voltar