618 - MANUAL PARA ENGANAR O ELEITOR

11/07/2016 08:49

Publicamos dia 22/10/2013 o Opinião 246, que trata da questão de como o eleitor pode ser enganado, que revisamos e reapresentamos abaixo:   

Todos os lideres religiosos usam o mesmo método que os políticos usam ou seja, sempre eles prometem as soluções para todos os problemas do individuo. Eles prometem tudo o que as pessoas querem ouvir, por exemplo, se estiver desempregado, prometem emprego, se estiver doente, prometem a cura, e assim por diante. Observamos que as promessas dos políticos e as promessas dos lideres religiosos, não por acaso, são basicamente semelhantes. A diferença é que os lideres religiosos usam Deus para conseguir convencer as pessoas e os políticos usam as suas caras-de-pau prometendo mudanças e tudo aquilo com o que as pessoas sonham e estão necessitando somente para se elegerem ou se reelegerem. Agora imaginem um político usando Deus para conseguir se eleger ou se reeleger... Conhece algum?

   Para saber mais sobre esse universo político de promessas e enganação, com vistas às próximas eleições 2016, pesquisamos na internet e encontramos um artigo sobre "como enganar o eleitor para se eleger". Trata-se do livro "Estratégias dinâmicas para ganhar eleições", um manual para conquistar votos e se manter no poder.

   Não estamos dizendo que alguns dos atuais representantes eleitos aqui da nossa cidade esteja usando para vencer eleições, ou que seja o livro de cabeceira de uns e outros pelo Brasil afora, mas é uma didática interessante para quem quer chegar ou se manter no poder a qualquer custo e preço. Para que o eleitor estar consciente disso, selecionamos algumas "pérolas" do "Manual" para tenha uma noção do que contém:

   1 Selecione 0,25% do eleitorado de sua cidade e mande cartas em nome de um dos seus adversários, de preferência o mais desequilibrado emocionalmente, dizendo que todos os dias ele atende a população em sua casa, distribuindo cestas básicas, remédios, material de construção e até ajuda a pagar algumas pequenas contas. Não escreva nada à mão e use luvas desde a compra dos envelopes até a postagem das cartas. De preferência envie as correspondência de uma outra cidade, onde seu adversário tenha qualquer tipo de ligação. O objetivo é humilhar o eleitorado do candidato rival para conseguir derrotá-lo com mais facilidade.

   2Se a eleição estiver difícil, a sugestão é apelar para o sentimentalismo e simular algum tipo de doença. Um gesso numa perna ou num braço costuma ser determinante para provocar reações de pena, fragilidade e maior atenção e cuidado por parte do observador...

   3 - Calcule qual adversário vai te dar mais trabalho, escolha o que tiver maior desequilíbrio emocional e pegue seu endereço. Escreva cartas anônimas com um endereço de um remetente fictício para 0,25% dos eleitores selecionados dizendo que ele mora na cidade e tem ajudado em sua própria casa, no endereço tal e tal, com remédios, cestas básicas, materiais de construção e tem pago até algumas contas de água, luz e telefone.

   4O bom político deve possuir várias caras, usando-as de acordo com a circunstância. Manter-se sempre em evidência; está é a lei. Procure visitar hospitais nos horários estabelecidos e faça-se notado. Porém, mande um assessor antes para colher o nome e o número do paciente. Depois passe de leito em leito cumprimentando-os pelo nome e desejando-lhes saúde (de preferência perto de seus familiares). Não fique mais do que dois minutos em cada leito, para que não tenha que fazer visita à farmácia mais tarde.

  5 O bom político deve evitar desgastar sua imagem. Para saber onde e quando aparecer deve-se usar um laranja, aquele agente intermediário, que efetua, por ordem suas transações perigosas, ficando oculta sua identidade.

  6Tenha sempre uma conta bancária fora de sua cidade e mantenha seu nome no SPC/Serasa para evitar ser fiador ou avalista de alguém, sabendo que o bom político sempre paga seus compromissos com as melhores moedas: real, dólar, lote, carro, e muitas vezes efetue o pagamento adiantado, especialmente quando encontra pseudo lideranças com ampla experiência em politicagem, que tem o poder de transformar o voto em ativo futuro e o processo eleitoral em uma bolsa de valores.

   7 -  Uma das melhores "dicas": Diga que a prefeitura está recheada de cargos cujos salários podem chegar a 20 mínimos. Várias daquelas vagas poderão ser de vocês, mas para isso eu preciso ser eleito ou ser reeleito.

     O texto completo está no link abaixo:

 

 
 
 
Voltar