70 - BASTIDORES DA POLÍTICA E O PODER

02/10/2012 07:03

   O Blog não deveria mais, assim como os visitantes, se surpreender com os bastidores da política. Mas sempre tem algo de inesperado, de insólito, acontecendo e, quanto mais procuramos entender a lógica mais nos damos conta que é tudo pelo poder, típico do ego humano, insaciável e destruidor da Luz do Ser e, inclusive, até mesmo com sinais de comportamentos e ações anti-cristãs. Tudo pelo poder.

   A política nas relações humanas, na história da sociedade, teve o mérito (se é que podemos chamar assim) de estabelecer fronteiras entre os seres, delimitar territórios, de tudo o que é de um e de tudo o mais que são dos outros. Mas isso não foi suficiente, querem o dos outros também. Tudo por mais poder.

   Oras, nessa luta por poder político entra tudo o que estamos vendo hoje, e sempre vimos: influências das igrejas, empresas e empresários, sindicatos, organizações, etc, tudo por uma fatia generosa do poder a ser conquistado. Nesse processo incansável, e até com certas motivações "inexplicáveis", entra o poder economico dos recursos para vencer o(s) adversário(s): moedas, muitas moedas de troca e de "investimento de risco" antevendo retorno seguro. Dificilmente o "investidor" perde, e se perder alguém deverá pagar a conta para recuperar o que perdeu e o que deixou de ganhar.

   Poderíamos discorrer muito sobre política, suas implicações, envolvimentos e tudo o mais, mas seríamos repetitivos e cansativos porque todos já sabemos disso, o povo todo sabe de tudo isso. Se observarmos corretamente, estamos dentro de um circulo viciado e vicioso, que admitimos e até gostamos a bem da verdade. Lembrando o hoje Bispo Dom Joaquim Wladimir Lopes Dias, temos o que podemos identificar de "pecados preferidos". Sabemos que eles existem, admitimos que temos, sabemos que é errado e que devemos erradicá-los, mas gostamos de comete-los e até mesmo não conseguimos viver sem eles. O mesmo vale para a política que todos praticamos, ativamente ou indiferentemente.

   Hoje vemos um verdadeiro clima hostil entre militancias, quase uma "guerra" entre os grupos. De uma parte a "revolta" contra as ações da outra, e da(s) outra(s) parte(s) a reação contra o que acontece ou esperam que aconteça. Também há os candidatos que aproveitam das estratégias mal-sucedidas dos adversários para atacá-los com o que eles mesmo produzem.  Tudo pelo poder, e indisfarçavelmente a qualquer custo.

   Não é preciso se esforçar para ver o que se passa nos bastidores, eles mesmos fazem questão de tornar público suas ações e estratégias, as falhas e defeitos do(s) adversário(s), sem o menor pudor e sem o menor constrangimento. Por um lado o eleitor que tudo assiste, pode avaliar melhor suas opções de voto, por outro lado a democracia se mostra em estado lamentável ante a sociedade.

   Não precisamos nos dar ao trabalho de indicar aqui os lances nada secretos, eles estão perfeitamente visiveis até mesmo aos distraídos e desavisados. E quanto perto fica das eleições, mas visivel se torna na tentativa de conquistar os votos dos indecisos que hoje são a maioria, mas que nem todos são tolos ou desinformados.

   O que devemos ter em conta, como eleitores que somos, é o que isso faz da democracia que deveria ser o bem precioso da sociedade, que deveria prover o bem comum da população e não somente de uma minoria que se acha acima de tudo e de todos, que procura, deseja e luta tão somente por e pelo poder !

   Todos nós somos responsáveis pelo estado que temos na nossa democracia, e enquanto não estivermos conscientes na escolha dos nossos representantes isso não irá mudar, não saberemos como é a democracia de verdade: a do povo, para o povo e pelo povo.

 

 

 

 

 

 

Voltar