AMOR DIVINO E AMOR HUMANO

27/01/2013 15:52

 

   

 Autor: Ataíde Lemos

     Um dos sentimentos mais sublime, porém, mais complexo é o Amor. Sem o amor não há vida, não tem sentido a existência humana. O amor é o que move o homem. É do amor que brota todos os sentimentos, até mesmo os antagônicos. É o amor que gera a saúde, a felicidade como também pela sua ausência surgem as doenças, levando o homem a morte psicológica, espiritual e biológica. 
    No entanto, consideremos  que há dois tipos de amores; O Amor Espiritual, que é o amor divino e o  outro, o Amor Humano.
    Amor Divino; é aquele que julgamos o mais sublime dos sentimentos, é o amor doação, esponsal, espontâneo. O amor silencioso, sofredor. É o amor louco que nada consegue atingi-lo ou diminuí-lo. É o amor capaz de dar a vida pelo outro. É o amor que passa por todas as provações e jamais esmorece. É o amor gratuito. É o amor que mesmo você tendo a certeza que o outro está errado é capaz de passar por cima de seus preconceitos, de seus medos e continuar amando-o. É o amor que você nunca sabe de onde vem, mas é capaz de compadecer pelo seu próximo quando o vê sofrendo, sendo capaz de renunciar sua própria vida em favor de pessoas que muitas vezes, nem sabe quem é você 
    Já o amor humano é completamente diferente, porque ele é estritamente humano e assim, tem toda característica do homem. 
    Para entendermos um pouco sobre amor humano temos que primeiramente, analisarmos como é o homem. Pois bem, o homem é um ser egoísta, mesquinho, possessivo, orgulhoso, vaidoso... Infelizmente, muitos podem discordar, mas o homem a meu ver, tem estas qualidades negativas em demasia. Sendo assim, o amor humano acaba também sendo desta forma. Isto é, assumi estas características humanas.
    Como exemplo, destacamos um tipo de amor nitidamente humano que é o amor “Eros” (o amor entre duas pessoas). É comum observarmos neste amor tudo aquilo que vai contra o amor divino, isto é, vemos o sentimento de posse, o ciúme atitude nítida do egoísmo, do medo que gera insegurança. A vaidade, o orgulho, etc. e tantos outros elementos que são características essencialmente humanas.
     É importante ressaltar que o amor humano não é um sentimento apenas carnal, e sim, um conjunto de todas as características humanas, como desejo, prazer, afetividade, cumplicidade. Porém, repito, é um amor com a característica do homem, enquanto essência humana. 
    O que, muitas vezes, contrapõe e faz com que uma relação entre duas pessoas  perdure é a essência do amor divino quando o casal permite-se acontecer. Este amor vai dando vida, formas, tolerância... Ainda que lentamente, ocorre uma simbiose entre o amor humano e divino. Porém quando isto não acontece o amor humano está fadado ao fracasso e, então, ouvimos a famosa frase “Eu não acredito no Amor”.
 
 
 
Voltar