AS GORDINHAS E AS OUTRAS

15/11/2012 06:15

    Adaptação do texto de Manuel Joaquim Sousa

    FONTE: http://bloguedomanel.blogs.sapo.pt/16002.html

   Esta breve crônica serve para retratar e abordar uma certo personagem que existe frequentemente em grupos masculinos e que é conhecida pelo nome genérico de ‘gordinha’.

   A Gordinha é aquela amigaça e companheirona que desde a escola cultivava o estilo gente boa, inteligente, bem-disposta, cheia de energia e de idéias, sempre pronta para dizer bobagens e alinhar com a turma em programas. Ora, acontece que a Gordinha é geralmente com muitas formas, tornando-se aos olhos masculinos até mesmo muito sensual, não como as outras que só servem nas noites regadas a vodkas, nas quais o desejo comanda o sistema hormonal, transformando-a numa mulher sexy, mesmo que seja uma burra com belas unhas e um bronzeado artificial, feito de última da hora.

   A Gordinha é porreta, é ponta firme, é divertida, quer sempre ir para todo o lado e está sempre bem-disposta. Portanto a Gordinha torna-se uma espécie de mulher do grupo que todos protegem, porque, no fundo, todos gostam do seu estilo à vontade e descompromissado com as críticas. E é assim que a Gordinha acaba por se tornar muito popular, até porque, não tem problemas em arranjar um namorado que, na maior parte dos casos,  faz as belas e bem comportadas ficarem roídas de inveja. Mesmo tendo namorado está sempre muito disponível para os mais variados programas, nem que seja ir comer uma boa pizza e depois ir ao cinema.

   Às Gordinhas tudo é permitido, como a qualquer outra: podem dizer palavrões, falar de sexo sem reservas, ter grandes bebedeiras, são propícias a estados de euforia, pois são práticas, não ligam para as criticas das outras. Quanto a isso, só as outras é que acham razão para condenar.

   As outras acham que se uma Gordinha faz alguma dessas coisas tidas como levianas surge logo um inquisidor de plantão para apontar o dedo. As outras acham que não tem direito a esse tipo de comportamento porque não são “disponíveis”,  acham-se  mulheres mais do que todas e, consequentemente, devem comportar-se como tal. E o que mais as irritam é quando as Gordinhas apontam também a elas o dedo, quando estas se tentam comportar de forma semelhante porque o sonho delas é serem como as gordinhas.

   É por isso que as suas amigas mais bonitas e torneadas, viram que sua reputação foi sendo sistematicamente depreciada por dois tipos de homens:

os que nunca as quiseram levar para a cama

e as gordinhas que são desejadas em ser levadas para a cama

 

   Uma mulher magra não pode falar alto nem dizer palavrões que logo recriminam, porque o dizem de forma artificial, encenada, repetida e ofensiva. Já uma Gordinha pode dizer e fazer tudo o que lhe passar pela cabeça, porque o sabe dizer com classe e naturalidade, com graça e com um inexplicável estatuto de impunidade.

   Porquê? Porque não é vista como uma mulher, mas como MULHER.  Porque todos gostam dela. E, já agora, porque é que quando uma mulher está e/ou é gordinha nunca ninguém lhe diz, mas quando está e/ou magra, ninguém deixa comentar que “está tão magra!”. E porque ? Porque gostam das gordinhas como elas são.

 

 

 

Voltar