124 - BOM E MAU POLÍTICO

14/12/2012 08:12

 

   Texto pesquisado na web

   Muitos diriam: ser ético, ser honesto. Mas, afinal, essas são características inerentes (diria obrigatórias) a qualquer bom cidadão. Mas não necessariamente um bom cidadão é um bom político.
   Para citar um exemplo, eu acredito que a gestão da coisa pública possui características, motivações e procedimentos diferentes da administração privada. Hoje em dia, muitas empresas estão investindo cada vez mais em sua imagem social, mas, para mim, isso é uma estratégia mercadológica e competitiva bastante saudável, mas que não deve ser confundida com o verdadeiro interesse público. Quero dizer com isso que um bom administrador privado não necessariamente será um bom administrador público (temos muitos exemplos disso) e nem um bom agente político (mais exemplos ainda). E ambos podem ser bons cidadãos.
   Entende-se que a principal característica que faz de um bom cidadão um bom político é sua capacidade de colocar o interesse público (não necessariamente o interesse de grupos) acima dos seus próprios interesses. 
   Por outro lado, existem homens e mulheres que nascem para fazer o bem e para ajudar as pessoas, como Madre Tereza de Calcutá, que passou a vida pensando no próximo. Mas uma pessoa boa como ela seria uma boa política? Acredito que não, já que muitas pessoas como ela, gastam seu tempo e até mesmo seu dinheiro para ajudar o próximo sem nada pedir em troca. Se satisfazem em ver uma obra ou uma caridade realizada.
   Na verdade, quando uma pessoa tem a hombridade de ajudar o próximo e descobre politicamente que não é tão simples assim e se não fizer as negociações corriqueiras que existem na política, não conseguirá sobreviver como tal. Simplesmente pegam nojo de um título indesejável que é ser político e acabam perdendo a verdadeira vocação em fazer o bem a uma comunidade. Que os bons políticos possam não abandonar o dom que Deus lhes deu que é ser político. Mas eles existem?
   Já os maus políticos, como é conhecimento de todos, não nascem com o dom de ajudar o próximo. Simplesmente entram na política a fim de tirar do próximo o que puder. Quantos escândalos de corrupção acompanhamos pelas cidades que moramos e pelo país que vivemos? São incontáveis e se fosse citar aqui, o espaço não seria suficiente. O pior é que quando são descobertos, nada acontece com eles, com raríssimas exceções. 
   E para terminar, outra pergunta: que política é essa? Acumulam dinheiro suficiente para uma próxima eleição não muito distante comprar o voto novamente das pessoas menos favorecidas que vendem seu voto para poder suprir as necessidades de saúde, educação, de sobrevivência que foram esses mesmos políticos que desviando, roubando o dinheiro público, os tirou. Este é meu recado da semana, os bons políticos nascem políticos, os maus políticos tornam-se político. 

   O bom político tem interesse em que a sua mensagem chegue ao maior número possível de cidadãos. O mau político não está interessado na mensagem, apenas pretende impor a sua vontade, tentando esmagar a vontade dos cidadãos. Assim temos os bons políticos e os maus políticos e o amor e o ódio pela mídia.

   O bom político governa em prol dos cidadãos, protegendo e valorizando o patrimônio cultural do seu povo.
   O bom político convencido de que as soluções que pretende implementar, são as mais válidas tenta comunicá-las usando para isso todos os meios ao seu alcance, buscando obter apoios e colocando a debate a solução que apresenta. Assim, pode auscultar as opiniões que a sua abertura ao diálogo promove. Resulta daí que o Bom político encontra soluções de consenso que serão mais justas e adequadas.
   O bom político colabora com os meios de comunicação pois sabe que estes são seus parceiros privilegiados para informar, ele sabe que ao informar os média das soluções que pretende implementar estes farão chegar a sua mensagem ao destino, contribuindo assim para convencer os cidadãos das suas melhores ideias.
   O mau político governa em prol de si próprio e dos seus cumpinchas, pouco lhe interessando o património cultural do seu povo.
   O mau político sabe que as medidas que pretende implementar são contra os interesses dos cidadãos, por isso tenta esconde-las ou adulterar a verdade usando para isso todos os meios ao seu alcance, tentando calar as vozes dissonantes. Resulta daí que o Mau político aplica soluções inadequadas e provocadoras de discórdia e injustiças que apenas são caladas muitas vezes à custa de perseguições e intimidações.
   O mau politico boicota os meios de comunicação independentes e utiliza os meios de comunicação por si controlados para ocultar a verdade aos cidadãos, divulgando noticias que tem em vista enganar os cidadãos ocultando a verdade, promovendo e protegendo os seus lacaios mesmo que não haja mérito pois são eles que lhes dão suporte.
   Partindo deste raciocínio, será que pelo modo como um político se relaciona com a mídia, com a população e com os eleitores, podemos perceber quais são os bons e os maus políticos?

 

 

Voltar