EU, MULHER, PROMOVENDO A MUDANÇA POLITICA

23/09/2012 17:55

Por Gislaine Pinto de Oliveira

Candidata a Vereadora em Várzea Paulista/SP pelo DEM

   A evolução das mulheres, diante das mudanças políticas, teve seu primeiro movimento em 1970, hoje para mim um grande avanço, pois sou mulher, que faço tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe e mulher que também sou.

   Todos os dias, levanto-me bem cedo, dou uma organizadinha rápida pela casa, e vou para o trabalho, buscar o sustento da minha família, vou ao mercado três vezes por semana, decido o cardápio das refeições, levo na maioria das vezes minha filha ao colégio e na maioria das vezes ainda a busco, vou almoçar com ela, estudo com ela, ligo para minha mãe, procuro ir ao cinema, viajo, falo com minhas amigas, respondo meus e-mails, pago minhas contas, e arrumo tempo para ir ao dentista, ao médico e faço mamografia, compro flores para enfeitar a casa, conserto os eletrodomésticos, abasteço o carro e encho os pneus, levo no mecânico e quando me sobra tempo ainda vou  as reuniões de escola e nas palestras voltada a minha área profissional, também faço escova no cabelo e as unhas toda semana!

   E, entre uma coisa e outra, leio livros e procuro nos finais de semana extravasar, andando de moto.

   E sendo assim, dentro da minha rotina diária, a palavra impossível não existe.

   Vibro, luto, animo-me e corro atrás do que quero. Procuro diferenciar o certo do errado, o bem do mal. Não tenho a qualificação ISO 9001 para ser bem avaliada.

   E quando vejo mulheres concorrendo para a mudança na política, logo penso, ali está se construindo mais um mecanismo para diminuirmos a desigualdade social, promovendo a equidade de direitos, cidadania e justiça.

   Nos mulheres estamos deixando de ser o sexo frágil, de sofrer assédio moral ou sexual, de ser sustentadas pelos maridos e buscando nossos próprios recursos, aprendemos a cuidar da nossa saúde e da familia, dos nossos filhos, aprendemos a ser pai e mãe ao mesmo tempo, hoje já denunciamos a violência contra mulher, ainda vivenciada por muitas mulheres, mas que hoje já não são mais a maioria e sim a minoria.

   Nós mulheres hoje agregamos valores, buscamos conhecimentos, acreditamos na capacitação das mulheres para fortalecer a política, abrimos caminhos e meios eficientes para a promoção de medidas eficientes e necessárias de acordo com nossa realidade social. Hoje só precisamos construir uma visão mais integral dos direitos das pessoas, sejam mulheres ou homens, promovendo conteúdos políticos progressistas e antidiscrimininatórios.

   O talento e a força das mulheres, ainda representa o recurso inexplorado.

   Sou simplesmente, mãe, mulher e batalhadora!

 

 

Voltar