FEIRINHA DO BRÁS EM V. PTA.

07/04/2013 16:08

   Surpreendente o numero de pessoas que acorreram ao local nos 3 dias da Feirinha do Brás. No domingo observou-se cerca de quase 3 km de carros estacionados na pista que dá acesso ao clube, e ruas próximas. 

  A feirinha, que deveria ser no Spazzio Baco, foi mudado de local às pressas e instalada no Clube de Campo de Várzea Paulista, conhecido como clube periquito, e funcionou nos dias 05, 06 e 07/04. Para que fosse possível a realização da feirinha, a coordenação da mesma contratou emergencialmente uma empresa para colocação de tendas para abrigar os feirantes na tarde de quinta-feira (04/04). Nas palavras do sr. Geraldo, da equipe de coordenação, foi uma correria com o imprevisto da mudança do local, pois toda a divulgação foi feita para o endereço do Spazzio Baco que, apesar do contratempo, teria sido o local adequado para bem acomodar visitantes e compradores. O responsável pelo Spazzio Baco informou que a prefeitura  desautorizou a utilização do local, com o argumento de que a documentação necessária não estava completa, e como não havia tempo hábil para as providências exigidas, a feira foi obrigada a mudar de local de uma hora para outra em curtissimo espaço de tempo. 

  Não foi possivel mensurar o publico que esteve presente fazendo suas compras, mas estima-se em cerca de milhares de pessoas nos 3 dias, inclusive comerciantes locais e região aproveitando os incriveis preços baixos, comprando lotes de peças em pacotes fechados e acertando contatos para negócios. Alguns dos lojistas da cidade chegou a consultar a coordenação quanto a possibilidade de participar das próximas feirinhas, se houver.

   Conforme explicado pela coordenação, a feirinha é itinerante e participa de várias cidades a convite das prefeituras, e não afeta a feira da madrugada estabelecida no Brás em S.Paulo. São como "filiais", todos os expositores tem suas empresas abertas, a mercadoria é documentada e, se o cliente pedir, é emitida nota fiscal ao consumidor, segundo informou. 

  Segundo os visitantes, que saiam de sacolas cheias, a feirinha deveria ser ao menos mensal, já que os preços são incrivelmente baixos e cabem no bolso da população de baixo poder aquisitivo, preços inclusive bem menor que as lojas "populares" de Jundiaí. Para os presentes consultados, a iniciativa foi ótima e deveria se repetir sempre.

  

 

Voltar