MÃE, DONA DE CASA, ESPOSA E A POLÍTICA

23/09/2012 18:00

    Por Lucinéia Fátima Cardoso de Oliveira

    Candidata a Vereadora em Várzea Paulista/SP pelo DEM

   Depois de cumprir às oito horas diárias no serviço, chega em casa para iniciar sua segunda jornada de trabalho. Ela prepara a refeição, olha os filhos, dá atenção para o marido e coloca tudo em ordem. É assim o dia-a-dia de milhares de mães. Elas desempenham o verdadeiro papel de super mulheres, deixando para trás aquela velha imagem de sexo frágil.

   Nos dias atuais, essas mulheres desempenham muitas funções e as vinte e quatro horas do dia parece não ser suficientes para tanta coisa. São inúmeros os compromissos como mãe, esposa, dona de casa, profissional e parece que se multiplica em várias para atender todas as demandas.

   Ao longo da história no Brasil a mulher conseguiu sob duras penas conquistas, como o direito do trabalho fora do lar, de votar, de participar de eventos esportivos, do divórcio, evitar gravidez com o uso de contraceptivos, poder matricular-se em curso superior, ter os mesmos direitos do marido no mundo civil, ocupar cargos executivos e de ser eleita.

   A força que a mulher tem na política brasileira é grande, capaz de fazer transformações significativas e elas têm feito. O eleitorado feminino é maioria. O engajamento da mulher na vida política do Brasil e do mundo demonstra a capacidade delas no comando de um cargo público. Mesmo com a lei que obriga os partidos a estabelecerem cota mínima de 30% de participação de mulheres candidatas em eleições proporcionais, a participação da mulher na política ainda é tímida. Faltam incentivos para que a mulher esteja engajada no cenário político.

   O Brasil tem 5.565 municípios, na última eleição, apenas 6.498 vereadoras foram eleitas e 503 prefeitas ou reeleitas. Nas Assembleias Legislativas são 106 deputadas. Dos 27 Estados da Federação, apenas quatro são governadas por mulheres: O Maranhão, Rio Grande do Sul, Para e o Rio Grande do Norte. No âmbito federal elas marcam presença, com força para fazer diferencial. O Senado tem 81 senadores, 11 são mulheres. Na Câmara federal dos 513 deputados, 45 são mulheres.

   Com o direito a votar ─ o que veio tardio ─ a mulher conquista a cada momento novos setores e na vida política tem contribuído para um Brasil melhor. A prova disso são as cidades que são ou foram administradas por mulheres competentes e determinadas; sejam como secretárias, vereadoras, prefeitas, deputadas, senadoras, governadoras ou ministras.

   A mulher precisa de mais espaço na política para que ressalte o potencial que ela tem na sociedade. Só assim, será capaz de termos uma sociedade justa e igualitária. A mulher tem determinação e não deixa se abater com obstáculos que o dia a dia impõe, são mulheres assim, de fibra, coragem, vontade, sonhos, esperanças e capacidade para lutar por uma sociedade onde todos tenham oportunidades iguais e com históricos de perseverança que nosso país necessita.

 

 

 

Voltar