MULHERES ESTRESSADAS

02/12/2012 09:43

 

    Abordagem de Mariana Teodoro

    Fonte: http://abiliodiniz.uol.com.br/qualidade-de-vida/mulheres-estressadas.htm

    Quem é mais estressado: o homem ou a mulher? Surpresa ou não, o número de mulheres estressadas é muito maior do que o de homens. “Acreditava que o stress afetava igualmente os dois sexos, mas após realizar uma pesquisa descobri que nós somos suas principais vítimas”, afirma a diretora do Centro Psicológico de Controle do Stress e autora do livro O stress e a beleza da mulher (Connection Books), Dra. Marilda Lipp.

   Segundo a especialista, embora o assunto seja complexo por abranger diferentes fatores sociais e biológicos, algumas implicações podem mostrar as causas do stress feminino. A expectativa da sociedade, por exemplo, é uma das principais fontes de stress, pois ela leva a mulher a uma luta contínua para, simultaneamente, preencher com perfeição vários papéis. “Ainda se espera que a mulher pense, sinta e se comporte de acordo com uma imagem criada socialmente. Ela deve ser o ser humano competente, a mãe e filha amorosa, a esposa exemplar, a boa profissional, além de bonita e sensual”, diz.

   Excesso de trabalho e de responsabilidade, dificuldades financeiras e relações conflituosas também geram tensão ao universo feminino. Marilda ressalta que, muitas vezes, as mulheres se sentem pressionadas por não saberem delimitar os diversos papeis e atividades da vida. “Elas levam preocupações do trabalho para casa e vice-versa”.

   Além dessas motivações, existe outra determinante que deixa a mulher bastante vulnerável à tensão. Chamada de “fábrica interna de stress” pela especialista, ela nada mais é do que o nosso modo de pensar e agir. “Pensamentos rígidos, valores antigos, expectativas impossíveis e negativismo são alguns exemplos”, afirma.

   As mulheres, porém, podem aprender a lidar com o stress e, assim, levar uma vida mais saudável. Antes de mais nada é preciso definir as prioridades, assim como avaliar o que de fato merece preocupação. “Quando a mulher se coloca em último lugar, as outras pessoas também vão colocá-la. É preciso descobrir o que é importante e o que traz prazer para si. Fazer só os que os outros querem é um dos comportamentos mais estressantes”.

Um bom começo para dissipar o stress é tentar preencher pelo menos trinta minutos do seu dia com uma atividade prazerosa. Respirar fundo, meditar, ter uma alimentação balanceada e fazer exercícios físicos também são medidas que podem amenizar os desconfortos gerados pela tensão. “Siga o seu desejo sem culpa porque você tem o direito de ser feliz. Se você não fizer isso, você também não conseguirá fazer outras pessoas felizes”, aconselha Marilda.

   Já para eliminar a fonte interna de stress é necessário um pouco mais de tempo e paciência, pois isso envolve mudança de pensamentos e atitudes. Mas, algumas dicas podem ajudar: “Aprenda a identificar os pensamentos geradores de stress; analise se ele pode ou deve ser eliminado da sua vida; tome medidas que possam afastar a fonte estressora; aprenda a lidar com o que não pode ser mudado e altere os pensamentos criadores de tensão e infelicidade. Além disso, mantenha uma atitude positiva diante da vida, seja mais tolerante e menos perfeccionista para reduzir as exigências com nós mesmas”, finaliza.

 

 

 

Voltar