122 - VÁRZEA PAULISTA: NEM MELHOR NEM PIOR

11/12/2012 06:32

    Adaptação do texto de Luiz Ricardo

    Fonte: http://tribunaregiao.com.br/opiniao/noticias.php?idNot=19948

   Alguns conceitos filosóficos defendem que o passado e o futuro necessariamente não existem quanto a criação dos fatos. Assim, as coisas, ou os próprios fatos que dariam origem ao passado e constituirão como consequência o futuro, só acontecem efetivamente no presente, hoje, agora.

  Há então uma relação íntima e intrínseca entre o que está por vir e ir, o berçário e o abrigo, a maternidade e a necrópole, a luz e a escuridão, a gênese e o extermínio, o ontem e o amanhã e tudo isso se dá no momento presente.
   Não há frieza cronológica que diga que esta cidade foi criada por homens no passado e será qualificada por homens no futuro. No entanto, foi em algum ponto no presente de uma hora, um dia, um mês, ou um ano entre os 47 anos, que seus homens e mulheres fizeram daqui berço de seus sonhos, palco de seus atos e árvore de seus frutos, sejam eles quais foram.
   O melhor e o pior de Várzea Paulista está em seus homens e suas mulheres, entre netos e avós, naqueles que estão no início e no fim de sua passagem por essa cidade e nosso plano. Foi cada um, no seu momento, da sua forma, com seus propósitos, em cada voto, omissão, atitude, desvio ou regularidade de caráter, ética, decepção e abandono que construíram a cidade de hoje. 

   Melhor, pior ou apenas Várzea Paulista, cidade construída não de asfaltos comprometidos, prédios e casas, mas da essência de atos dos que já foram, estão e virão. Não no destino da casualidade, mas naquele que se constrói na perda e no ganho, no ônus e no bônus, de nós, em nosso presente.
   O que temos, o que somos, e o que perdemos; o propósito das nossas leis, a sustentabilidade do nosso desenvolvimento, a preservação da nossa cultura e a conservação da nossa identidade é hoje nossa criação e reflexo de cada um no de seus habitantes, entre os melhores e os piores.
   Então se pergunte como funciona e atua a Camara e o governo Municipal, como sua cidade cuida do seu lixo, dos seus animais, como educa seus filhos, trata o meio ambiente, compõe seu legislativo, cuida da sua cultura e da sua história, proporciona lazer, zela a saúde, tem sua imprensa? E você verá apenas mais uma cidade nem melhor nem pior, sem ousadia e sem grandes conquistas, que não preservou virtudes nem desprezou malefícios na administração pública, mas que deveria ter dignidade e respeito para com os eleitores e como atração uma admirável qualidade de vida de seus moradores.

 

 

 

Voltar