Professora Lucinéia - Candidata a Vereadora pelo DEM

02/08/2012 13:17

   LUCINÉIA FÁTIMA CARDOSO DE OLIVEIRA, Professora Lucinéia, 48 anos, casada, 3 filhos, curso superior em Letras (Português e Inglês) e em Pedagogia, Pós-graduação em Gestão Educacional, Psicopedagogia e em Inclusão Escolar. Mulher que aprecia boa leitura, tranqüila, sorridente, transmite muita simpatia e bom humor, funcionária pública da prefeitura de Várzea Paulista há 18 anos, lotada na Escola CEMEB Prefeito João Aprillanti, residente em Várzea Paulista desde 1970 no Jardim Maria de Fátima.

 

      Vejamos suas opiniões:

 

1 – O que a levou tentar se eleger vereadora ?

      Meu marido, Paulinho, trabalha há 24 anos na Câmara Municipal de Várzea Paulista e, a princípio, seria ele quem sairia candidato. Mas, como ele se relaciona diretamente com os vereadores, e por uma questão de avaliação de ordem pessoal para com a Câmara e o governo municipal, decidimos que minha candidatura seria mais adequada no presente momento. Nossa preocupação é voltada para as questões sociais, particularmente as que dizem respeito à educação em tempo integral, por exemplo: um período (manhã) com atividade educacional e outro (tarde) para atividades culturais.

 

2 – Referindo à educação, como mencionou, o que pensa a respeito com relação à Várzea Paulista ?

     Então, há uma lei federal que não é cumprida em nossa cidade, que diz que o professor deve ter uma formação continuada. Hoje, quem tem esse beneficio são só os diretores(as) e coordenadores(as) das escolas. Deveria ser direito de toda a rede de professores, mas não é.

     Por outro lado, temos superlotação nas salas de aula. A lei prevê 25 alunos, no Ensino Fundamental temos quase 40 alunos por classe de modo geral, e o mesmo problema também diz respeito às creches. Não temos visto construção de novas escolas, a última foi a CEMEB Paulo Freire no Jardim Promeca em 2009, sem contar que a conservação e manutenção das existentes são precárias e deixam muito a desejar e não há acesso para cadeirantes, entre outras coisas.

 

3 – Como é sua participação na campanha ?

      Estou visitando as pessoas e sendo muito cobrada por não estar conseguindo dar conta de atender a todos os convites. É muita gente solicitando minha presença, e como não tenho como ir a vários lugares ao mesmo tempo vou visitando na medida do possível, mas todos compreendem isso.

      Participo das caminhadas e reuniões de bairro do partido, mas entendo que na campanha o que funciona mesmo, a meu ver, é o contato pessoal com os amigos e amigos dos amigos.

 

4 – Espera ser eleita ?

      Espero sim, mas tenho os pés no chão. Sei que é difícil uma mulher se eleger em um reduto típico e culturalmente masculino. Tanto é que, em primeira mão, quando comentei que iria sair candidata a vereadora acabei provocando algumas risadas de descrédito em alguns colegas candidatos. Mas estou trabalhando para isso com a ajuda e apoio dos amigos.

 

5 – Como vê a mulher participando da política ?

     Como a vejo em todos os lugares, em todas as profissões e na família principalmente.

     A mulher na política é capaz, por ser cautelosa, observadora e sensível, e digo mais, tanto que ao fazer seguro do carro a mulher tem desconto por não provocar tantos acidentes quanto os homens, não que isso seja um indicador de que eles sejam desastrados, mas que a mulher tem mais cuidado e isso vale também para outros aspectos.

     Hoje a mulher não é só do lar, e tem mais envolvimento social, vende cosméticos, lingerie e tantos outros produtos de catálogos. Se desdobra e se adapta com facilidade a qualquer situação, seja favorável ou não.

 

6 – Sendo eleita, quais seus projetos principais ?

      Primeiro estabelecer um bom relacionamento com o prefeito eleito. A partir de então iniciar um bom relacionamento também com o Secretário da Educação, examinar as questões educacionais, de estrutura física e das condições de trabalho da equipe escolar de cada unidade do ensino público e a participação dos alunos, incluindo as creches.

      Espero, ao menos, conseguir colocar uma unidade escolar em horário integral, um pólo, para ser modelo e referência para as demais. Pretendo me dedicar basicamente à educação e cultura, mas sem deixar de participar das outras áreas sociais.

 

      Comentários finais:

      Meu foco é a educação, é o que sei fazer e na qual me especializei. Conheço bem meu bairro e a cidade, e vejo as necessidades das pessoas. Penso que quem governa tem que ter amor pela cidade, pensar nos moradores e proporcionar melhor qualidade de vida, administrar para o bem comum sem exceções.

 

 

 

 

Voltar