SENHOR DA LUZ

29/11/2012 06:29

 

Senhor da Luz, permita-me que eu mantenha calmo o oceano de minha mente,

para que ele possa refletir a Tua imagem.

Que eu possa manter a luz da tua consciência acesa em minha mente

acima das minhas próprias opiniões, para que os meus lábios possam pronunciar

o ensinamento da Tua doutrina com palavras serenas e fiéis;

para que os meus gestos sejam tranquilizadores, carinhosos e plenos de amor.

Caso eu acumule na minha vida comum bens que na realidade tornem-se estorvos na minha caminhada

ajude-me a dispô-los com coração nobre para os que com ele

irão construir para o homem uma via de libertação.

Mas, ensina-me antes a simplicidade de coração

e a conduta sábia, bem como o espírito agudo e iluminado,

para que, por bom e prudente julgamento, eu não desperdice o meu tempo

com caminhos de falsidade, nem os recursos que a minha roda da sorte colocou caridosamente

diante de mim, com futilidades e descaminhos, com mestres mal intencionados, que querem,

como objetivo único, o comércio da verdade e dos dons espirituais.

Dê-me coragem de desafiar a minha vontade,

e paciência no longo caminho de sua transmutação.

Ajuda-me a enfrentar a inquietação de espírito e mostra-me, no cansaço dos meus afazeres

que o amor merece até mesmo a minha completa exaustão.

Ó Verdade, dá que te encontrando, eu seja como que a criança inocente

que contempla a luz isenta de ressentimentos, de idéias próprias, de opiniões pré-formadas.

Dá que eu passe pelas adversidades da vida

Como um caminhante sob a chuva imprevista

e que eu saiba trocar a roupa molhada da dor, pelas da esperança.

Oh! Verdade, dá que eu, ao deparar-me contigo não me veja tão diferente de ti,

tão desconhecido de teus parentes,

tão estrangeiro em teus terrenos,

tão mal trajado perante os teus adornos,

tão inimigo dos Anjos que te sustentam,

tão miseravelmente nú diante dos teus nobres vestidos.

Grande será a minha dor, ó Verdade, ó Senhor da Luz,

descobrir que carreguei o fardo da vida terrestre segurando em minha mente ideais tão particulares

que nunca poderão integrar-se na grande Harmonia do Todo,

que alimentei desejos, vontades, anseios com o fogo do meu “eu”

e, que, por serem tão destoantes com as vibrações e as forças da Verdade

deverão ser destruídas pela morte e pela boca da grande dissolução cósmica.

Luz das Luzes, Espírito de Deus, Fonte de todos os Poderes criadores

não Te peço que aumentes a Graça sobre mim,

mas unicamente a minha limitada compreensão das Tuas virtudes e do método de, com elas,

transformar-me no Homem de outrora, que, no Éden, vivia à Tua sombra.

 

        Amén!    

 

 

Voltar