101 - TURBULÊNCIAS NOS BASTIDORES POLÍTICOS DE V.PTA.

12/11/2012 08:28

   Dois assuntos estão em alta e provocando certa turbulência nos bastidores políticos da cidade e, considerando como estão sendo tratados nesta semana que se inicia, podem tender a provocar disritmias cardíacas em uns e outros. E por quê? Porque são assuntos polêmicos e delicados, de difícil previsão de desfecho, mas que estão em andamento e com especulações intensas nos bastidores.

 

    1º) A questão envolvendo os vereadores reeleitos Silas e Luciano.

    Foi divulgado no Jornal de Jundiaí neste sábado, 10/11,  matéria paga sobre a representação do PTC que pede a cassação dos dois vereadores reeleitos na cidade, que já comentamos brevemente dia 09/11, e isso demonstra que os representantes estão decididos a conseguir a cassação dos dois. Embora esteja em exame pela Justiça Eleitoral, já se sabe e comentam que a Chefe do Cartório, Sra. Francy, foi vista na Câmara e esteve reunida com o presidente da Câmara Municipal, Silas Zafani, dia 05/11 por volta das 15h00min em seu Gabinete. Embora seja praxe da Justiça Eleitoral enviar representante para verificação de dados, a especulação corre solta quanto ao que foi tratado em particular entre a Sra. Francy e Silas. Também outro comentário, que não se sabe como surgiu, dá conta que Silas, Luciano e Dra. Flávia (Juíza) foram vistos jantando juntos, e que uma cópia da câmera do restaurante já está em mãos dos que estão representando contra eles, e que estão tratando de que seja divulgado em mídia televisiva. Bom, pelo sim pelo não, entendemos que esse jantar não ocorreu, mesmo porque a Dra. Flávia sempre demonstrou sua idoneidade e caráter ilibado na condução da Justiça Eleitoral. Como se diz, não deve passar de “fofoca da oposição”.

 

   2º) Aumento salarial que os vereadores concederam a si mesmos.

   Foi divulgado ontem no Facebook a questão referente ao aumento que os vereadores concederam a si mesmos, reajustando seus vencimentos parlamentares em coisa de R$ 6.200,00 para R$ 10.000,00 por mês, ou seja: 61,30 % de aumento. E isso sem mencionar os demais aumentos concedidos pela Câmara ao executivo e secretários para o próximo quadriênio.

   Oras, fomos informados que o aumento do salário dos vereadores foi corrigido segundo a lei orgânica, que diz que o salário pode ser de até 50% do salário de deputado e que, portanto, está tudo dentro da lei e que foi apenas corrigida a inflação. Podem fazer isso ? Se fizeram... Sem contar com outras vantagens no cargo, como celulares e contas pagos pela Câmara, dia de carro com motorista, internet, telefone fixo, assessores parlamentares, etc.

   Em função disso, a Pastoral Fé & Política e Cidadania, representada pela coordenadora Sra. Dolaine Coimbra, está organizando um Movimento contra este reajuste auto-concedido pelos parlamentares de Várzea Paulista que, entende-se, depõe contra a moralidade cívica e democrática para com a população. A Pastoral tem razão? Se admitirmos a realidade social da cidade, e do Brasil, vamos compreender que a evolução do salário mínimo nos últimos quatro anos foi de R$ 415,00 em 2008 a R$ 622,00 em 2012, ou seja: cerca de 49,88% para trabalhar 8 horas por dia, cinco dias por semana e 30 dias por mês. É imoral comparar um salário de R$ 10.000,00 de vereador com um salário mínimo de R$ 622,00 por mês? Sim, é principalmente sabendo-se das dificuldades sociais precárias e/ou inexistentes aos moradores mais humildes da cidade, e que são a grande maioria. E quanto o vereador trabalha por dia? Bom, todos sabemos que há somente uma sessão da Câmara por semana com duração média entre 2 e 4 horas, portanto mensurar isso é complexo e inviável atualmente, mas pode ser acompanhado caso a população queira saber como e quanto eles trabalham por mês, e se realmente merecem ganhar o que ganham fazendo o que fazem... Para tanto deve haver uma oposição que fiscalize de fato e de direito todos esses eleitos, parlamentares e governo... legislativo e executivo, e todos os secretários e funcionários públicos nomeados/concursados...

      Essa questão já foi abordada anteriormente pela Pastoral no uso da Tribuna Livre na 131ª Sessão Ordinária do dia 03.07.2012, da Câmara Municipal, através da coordenadora Dolaine e mais um agente da Pastoral, Aparecida Silvério dos Reis, quando na ocasião referiram sobre os boatos de aumento no subsídio dos vereadores e requeriam uma explicação a respeito, conforme publicado no link que se segue: http://soumutirao.blogspot.com.br/2012/07/pastoral-fe-e-politica-requereu-espaco.html   

 

     O reajuste foi colocado em pauta, votado, aprovado e publicado no Diário Oficial da cidade dia 16/11, logo após as eleições, mas parece que a Câmara ainda não se dispõe a fornecer cópia da ATA da sessão que aprovou o aumento, mesmo sendo cumprida corretamente todas as exigências para a solicitação formal da mesma, segundo informações de integrante da Pastoral, e isso é um direito público garantido por lei a qualquer cidadão.

   E porque não fornecem cópia ? Provavelmente porque, segundo circula nos bastidores, foi uma sessão "secreta" que comentam ter sido realizada no gabinete do presidente da Câmara, Silas Zafani, onde todos votaram a favor, com exceção do vereador Mauro Batista que votou contra segundo dizem. Portanto, não foi realizada em Plenário e isso parece ser ilegal e contra o regimento interno, pois é para ser matéria de interesse público já que a população é quem paga a conta. Mas porque fizeram assim ? Porque foi "secreta" ? Porque iria chocar a opinião pública e teriam que recuar ? Não sabemos dizer, a resposta está com os vereadores que participaram e votaram. Bom, por outro lado pode ser que estejamos equivocados, ou não  ? 

   A Pastoral Fé e Política vai à luta para procurar desfazer o reajuste dos vereadores, prefeito e secretários. Estão organizando um abaixo assinado. Afinal são quase R$ 2.000.000,00 a serem gastos a mais nos próximos 4 anos, fora os encargos ... dá para ser aplicado na Saúde e em outras áreas prioritárias... E, porque um vereador deve ganhar R$ 10.000,00 ?

 

  Veja a imagem do texto da publicação no link abaixo:

 

  Veja a página completa do Diário Oficial no link abaixo:

 

 

 

Voltar