129 - FINAL DO GOVERNO PT EM V.PTA

29/12/2012 08:37

  De 2005 a 2012 Várzea Paulista viu a transformação que a administração do PT trouxe à cidade, e muito se tem dito sobre a administração do prefeito Eduardo Tadeu Pereira durante seus 8 anos de governo. O primeiro mandato de 2005 a 2008 é reconhecido como sendo o melhor, que mais fez pela cidade e com mudanças visiveis e necessárias. Já neste último, que começou em 2009, os comentários são de que deixou muito a desejar, e que, com o ego inflado, se afastou dos principios que nortearam suas propostas de governo. Nestes ultimos anos mostrou certa indiferença e uma certa necessidade de holofotes, enquanto a administração se perdia nas vaidades e na queda da qualidade do primeiro mandato. Embora o que fez na Vila Real, marco indiscutível deste seu último mandato, por mais que se explicasse no geral, o poder de convencimento ficou muito frágil e inconsistente, culminando em um último dia de expediente público complicado e de muito pouco, ou nenhum, motivo de comemoração.

   E o que se viu ontem, 28/12/12, foi um distanciamento evidente dos compromissos públicos que assumiu como prefeito neste último mandato, deixando uma prefeitura individada e sem explicações convincentes ou aceitáveis sobre o que deveria ser feito e não fez, tal qual Clemente em 2004 (mas dizem que Clemente não deixou dividas).

 

   Vejamos o que se observou neste ultimo dia de expediente público do governo que sai:

   - Comentários davam conta que nem todos os cargos comissionados seriam extintos, mas somente uma parte (privilegiados ?), e que cerca de 100 cargos ficariam para o novo governo decidir. Os que devem ser  exonerados/demitidos estariam em uma lista que seria fechada e editada com data do dia 31/12/12. Até às 17 h viu-se apreensões e incertezas de alguns, se constavam ou não na lista, se receberiam ou não a quitação.

   - Que os professores da escala rotativa (temporários) não receberiam o pagamento por falta de verba.

   - Que, pelo mesmo motivo acima, não seria pago as férias dos professores efetivos. Houve até uma pequena concentração na entrada da prefeitura por alguns deles para tentar resolver, mas não foram recebidos pelo prefeito que sai. Quem os atendeu foi o vereador Mauro do PV, que os ouviu e se comprometeu a marcar uma audiência com o novo prefeito na proxima semana para solução do problema. 

   - Que o bloqueio das contas da prefeitura, motivado pelo precatório da familia Mentem, foi somente de 1,7 milhões à disposição da Justiça, mas sendo liberado todas as contas e saldos restantes já no dia 26/12/12. Entenda-se que para pagamento de salários e obrigações trabalhistas a Justiça não bloqueia conta bancária, portanto não seria aceitável como argumento para não pagar os funcionários (que foram pagos) e outras obrigações trabalhistas. 

   - Especulou-se que somente os fornecedores que contribuiram na campanha receberam suas contas.

   - e outras observações e situações de somenos importancia, ou já inseridas no contexto.

 

   Por outro lado ouviu-se de autoridades do primeiro escalão do novo governo (e também dos que estão saindo):

   - A arrecadação do imposto 2013 foi retido pela Justiça e estará disponível ao novo governo já a partir do dia 02/01/2013, e que a nova administração irá manter o desconto de 20% para pagamento à vista através de nova portaria, bem como o incentivo para acordo dos impostos atrasados.

   - Não deverá ser aproveitado os comissionados que não forem exonerados/demitidos até dia 31/12/2012, exceto alguns selecionados para ajudar no inicio da nova administração.

   

   Ainda com referência ao vereador Mauro do PV, este comentou que o novo governo fará tudo o que for possível para solucionar as pendências que herdarão do governo que sai, logo após assumir, e que em aproximadamente 6 meses as finanças deverá estar sob controle. Também que o novo prefeito dará atenção direta ao povo e tratará de todas as questões públicas com muita seriedade e transparência.

   Bom, uma Era termina e outra se inicia dia 01/01/2013, com conceitos e princípios aparentemente opostos. O tempo vai mostrar o novo, a que veio e as diferenças com os governos anteriores.

 

 

Voltar