V.PTA.: NOVA ASSEMBLEIA E NOVA REJEIÇÃO DO FUNCIONALISMO

24/05/2014 08:52

   Ontem, 23/05 às 18:00h, e com presença de cerca de 1.000 pessoas, o Sindicato dos Funcionários Municipais de Várzea Paulista realizou nova Assembleia para apreciação de nova proposta do governo, em mais uma tentativa de evitar a greve. Antes do inicio da apreciação já se notava uma pré-indisposição da categoria para com o governo se a proposta não atendesse suas reivindicações.

   Ao abrir a Assembleia, o presidente do sindicato pediu que alguns presentes, que não assinaram a lista porque disseram ser "convidados", talvez do governo segundo disse, se retirassem do local porque a Assembleia era somente para funcionários públicos. A vaia foi imediata e constrangedora para os "convidados". Comentou também a infeliz questão do comentário sobre "maconha" dita pelo adjunto de finanças em reunião anterior aos representantes do funcionalismo, e que aparenta ser o pomo da discórdia nas negociações seguintes, informando que o governo se comprometeu a fazer uma carta de retratação aos servidores municipais, mas que até aquele momento não havia sido entregue ao sindicato. Os servidores replicaram com gritos de "GREVE, GREVE". 

   Um diretor da estadual da CUT esteve presente e foi convidado a discursar dando apoio a categoria, e o presidente da Cut local solicitou a ele 3 carros de som para uso do sindicato, a partir de segunda feira. A seguir, discursos inflamados de vários funcionários públicos contra o governo municipal, sendo todos muito aplaudidos e até ovacionados, seguido de vaias intensas contra o governo, principalmente depois que o sindicalista comentou que na secretaria de saúde os funcionários estavam sendo pressionados a não participar da greve, e mais ainda quando disse que tinha chefes presentes na Assembleia pedindo para seus comandados não votar contra o governo (não levantar a mão na votação), em meio a novas vaias. O presidente do sindicato tranquilizou os funcionários em estágios probatórios no governo.

   Às 18:20h começou a apreciação e votação da nova proposta do governo. Foi feito a leitura da proposta ao funcionalismo:

  - Concessão de Vale Alimentação no valor único de R$ 200,00, e,

  - Auxilio Transporte de até R$ 200,00.

    Ambas em pecúnia (dinheiro), opcional ao servidor.

   As 18:25h foi feita a votação: PROPOSTA REJEITADA.  A categoria optou por GREVE GERAL DO FUNCIONALISMO PÚBLICO A PARTIR DE SEGUNDA FEIRA, 26/05, A PARTIR DAS 07h. 

   Não fosse 4 pessoas apoiando a proposta do governo, a rejeição seria absolutamente unânime pelos cerca de mais de 1.000 servidores presentes. Os funcionários públicos foram convidados a estarem na Portaria da prefeitura a partir das 07h .  

   A greve foi decidida por tempo indeterminado.   

 


   

   

   

   

Voltar
Contador de visitas