438 - V.PTA., OBRAS PUBLICAS E FALTA DE DINHEIRO

26/02/2015 07:09

  Com a crise da “falta de dinheiro” à solta na administração municipal aqui em Várzea Paulista, e a única questão praticamente “imexível” neste atual governo parece mesmo ser os cargos e salários, vamos abordar algumas considerações inevitáveis de dentro do governo (bastidores) e fora dele (opinião pública,ou eleitores)

  Quanto aos cargos e salários, isso é extensamente abordado na opinião pública e estratégicamente mantido em silêncio tanto pelo governo como pelos "favorecidos" pelos acordos da campanha eleitoral de 2012, sejam comissionados ou não. Aliás, comentam, nem só acordos de campanha, mas também por amizade com uns e outros da equipe executiva sob a égide de serem de "confiança". Isso é uma prática de quase todo governo municipal, portanto instituído como sendo "normal", mas que não deveria.

  Na busca por recursos financeiros o prefeito, inclusive, esteve na Casa Civil do Governo do Estado de Sao Paulo além de conversar com parlamentares em busca de verba para o prometido Poupatempo Saúde, promessa essa que lhe garantiu a eleição junto com a promessa de acabar com a deplorável falta de medicamentos nas farmácias públicas que ainda não aconteceu neste primeiros 2 anos e 2 meses de mandato. 

  Alguns comentários dos bastidores do governo, e que não são surpresa, dão conta que o prefeito está "blindado" contra más noticias, e problemas da administração, tal qual esteve seu antecessor. Verdade ou não, e é para ser verdade, o prefeito começou a ir para as ruas, visitando bairros, onde deve ouvir os problemas diretamente da boca da população sem o costumeiro "faz-de-conta-que-está-tudo-bem" de dentro do governo, mas lembrando que tem os quem não tem coragem de contar a verdade e se preocupam em agradar na esperança de ter a atenção do governo.

  Com a economia nacional em crise, incluindo os aumentos de energia elétrica e combustiveis, que encarece os custos ao consumidor, o governo também é atingido nos pedidos e repasses de verbas federais e estaduais que ficam escassas.

  Uma conversa franca e sincera com gente do governo, confirma o que todos já sabem: 

  - falta dinheiro no governo para pagar todas as contas, então atrasos a fornecedores são inevitáveis e isso compromete o bom andamento da administração pública,

  - a maior preocupação é pagar os salários, e isso tem concentrado em muito os esforços do governo (prioridade primeira), seguido de fazer o que precisa ser feito pelo governo na cidade (prioridade segunda),

  - os problemas de infraestrutura estão progressivas com a falta de recursos para fazer o que precisa ser feito na cidade, principalmente na manutenção em geral,

  - alguns setores públicos não funcionam a contento e estão apenas consumindo recursos com pessoal e material de insumo, por exemplo o setor de zoonoses, 

  -  algumas secretarias poderiam ser extintas e incorporadas a outras, por exemplo a secretaria de desenvolvimento economico poderia ser incorporada a outra (talvez na gestão pública), assim como a ouvidoria (talvez no juridico), etc., e isso já foi cogitado como sugestão pela assessoria de planejamento orçamentária contratada recentemente para ensinar a reduzir despesas públicas 

   - algumas suspeitas de corrupção pode ter indicios em algumas secretarias, o que pode comprometer as finanças ao pagar por valores irreais a fornecedores. Como exemplo, consideremos supor uma hipótese em que o governo fecha um pedido de 1000 lampadas para serem substituidas na iluminação pública, o fornecedor entrega 900 mas recebe as 1000. Isso é apenas uma hipótese imaginada, e não significa que esteja acontecendo na prática, mas comentários existem,

   - outros pontos podem ser considerados, e espera-se que sejam, pelo executivo.

   A opinião pública observa um esforço do governo em mostrar que está fazendo alguma coisa pela cidade, e até um filme foi feito e circula nas redes sociais para sensibilizar os eleitores como "um governo que faz", inclusive mostrando obras incompletas e/ou suspensas como conquistas. É a arte de vender o que ainda não tem, e cujo objetivo é valorizar a imagem do governo. Isso é assim mesmo, e quase todos os governantes fazem a mesma coisa, com as devidas exceções dos que realmente não usam dessa estratégia de marketing politicos porque a população está vendo por si mesmo o que está sendo feito sem precisar gastar com publicidade.

  Entretanto, o governo está procurando fazer o que precisa ser feito aqui em Várzea Paulista. Quanto a isso, estamos editando a matéria que vai mostrar como está o andamento das obras públicas. E não está ruim como pode se pensar. Mesmo porque o Blog critica o governo pela inépcia de uns e outros da equipe executiva, que estão no governo por estar, tal qual os srs. vereadores segundo se ouve em todo lugar....

    

  

 

 

Voltar