É ou não é o que parece?

Então... Enquanto o "baile da imoralidade" só se concentrava no congresso nacional e STF em meio aos escândalos diários no país, eis que uma das valsas fez com que 6 procuradores da PGR, Procuradoria Geral da Republica, que cuidavam da Lava Jato, pedissem demissão coletiva quando Raquel Dogde requereu ao STF a retirada de trechos da delação de Léo Pinheiro contra o ministro Dias Toffoli e Rodrigo Maia. A demissão coletiva é para ser por "grave incompatibilidade" com Raquel Dodge. Comentam nos meios de comunicação que é mais um escândalo histórico sem precedentes, que se desmoraliza a Justiça cada vez que uma "autoridade" aparece em suposto "esquema" envolvendo corrupção. Aqui em Várzea Paulista não é diferente, haja visto o que aconteceu, e acontece, na Saúde municipal, Cemitério, Bolsa Família, DVDs, etc, sem que a câmara municipal, que dizem ser cúmplice, tome qualquer atitude. E mais, pasmem, o governo municipal sediou reunião de gestores de Saúde da região, ao que uns e outros já especulam se as prefeituras da região vão "copiar" o "modelo de sucesso" da "co-gestão" da gestão da Saúde com a Ingex/Vitale, com a "participação" da gestão de comunicação. Línguas afiadíssimas dizem que Várzea Paulista talvez exporte o "sistema de gestão da Saúde" para a região, e quiçá para todo o Brasil. Claro que isso não é para ser levado a sério. Pelo sim pelo não, uns e outros "garantem" que o governo municipal é um "exemplo" a ser seguido, mas não dizem no que e nem por quem... Oremos?