A presidente da UNE dobrou a meta?

Então, restam 8 dias... termina dia 17/09, terça feira da próxima semana,  o prazo para que o governo municipal de Várzea Paulista cumpra a determinação judicial de realizar Licitação para co-gestão de Saúde, hoje com Contrato Emergencial com a Ingex/Vitale... enquanto isso, para desgosto da UNE e Ubes (leia-se PCdoB), Bolsonaro assinou o Decreto que torna a carteira estudantil gratuita. Seria uma "tragédia" que desbanca o monopólio da entidade na "arrecadação" das carteiras de estudantes, da mesma forma que os sindicatos perderam a arrecadação do imposto sindical de um dia de trabalho do salário do empregado? E mais, parece que a UNE vai convocar manifestação contra o Decreto, o que pode caracterizar hipocrisia da atual presidente, Marianna Dias, que, em junho/2017, O Antagonista denunciou que ela "não conseguia" terminar a faculdade. Seria porque pretende continuar militando na UNE e no partido político no qual é filiada, PCdoB, que está à frente da UNE desde 1985? Ora, uns e outros perguntam se ela, na hipótese mais provável, quer continuar na UNE para usufruir da verba, que o presidente Bolsonaro comentou estar em cerca de R$ 400 milhões na arrecadação com carteirinhas de estudantes? Pelo sim pelo não, especula-se o que a "UNE" vai fazer sem a cobrança das carteirinhas de estudantes... Oremos? Não carece, de jeito nenhum...