A “suposta” corrupção na gestão da Saúde de Várzea Paulista


Preocupados com a falta de atitude da prefeitura na gestão de saúde da cidade, que tem feito vista grossa no que "estranhamente" acontece na gestão de saúde, em prejuízo da população, é necessário todos entenderem e acompanhar o que acontece em nossa cidade, já que moramos aqui e amamos Várzea, mas as vezes não entendemos porque muitos sonham em se mudar para Jundiaí e, ora, temos até que dar razão a quem pensa assim. Desde sua emancipação até hoje, não tivemos administradores que, de fato, amassem nossa cidade. Todos deixaram a desejar, pois fizeram e administraram a cidade para eles e não para os munícipes. Ficaram ricos às custas da miséria do povo que sempre espera por uma cidade melhor. Temos problemas sérios em todas as áreas, mas vamos focar na Saúde...

Entra e sai governo e nada muda, aliás piora sempre. "Hospital" e UBS sempre foram lastimáveis, faltando tudo, mas não falta indícios de corrupção e desrespeito para com o morador que banca tudo. O prefeito atual, denunciado no Ministério Público e indiciado em 13 processos criminais e, destes, 8 já com condenação na justiça, entre os quais condenado a devolver dinheiro aos cofres públicos por superfaturamento em licitações. Direcionaram várias licitações com o intuitivo de se beneficiarem e levar vantagens pessoal. Em 2016, contrataram a O.S. VITALE para gerenciar a nossa UPA, que foi delatada por um dos ex-funcionários da empresa, dizendo onde foi parar boa parte do dinheiro da Saúde, conforme vídeos amplamente divulgados na TV, rádios, jornais, redes sociais e no Blog Várzea Paulista.

Em junho de 2018 os conselheiros do COMUS, na auditoria das Contas da gestão da Saúde, alertaram que a empresa O.S. Vitale estava praticando corrupção e que não teria condições de continuar atuando e defraudando o dinheiro público da cidade. O contrato ia vencer em agosto/2018. A gestão da saúde, junto com o governo denunciado nas contas rejeitadas em 2013, 2015 e 2016 pelo Tribunal de Contas, não tomou nenhuma providência e, pasmem, ainda tiveram o atrevimento de contratarem a mesma organização criminosa O.S. VITALE por mais 6 meses, em Contrato "emergencial" que não depende de Licitação, e esconderam esse contrato do povo. Inclusive até dos conselheiros da Saúde. O Conselho Municipal de Saúde só teve acesso ao contrato meses depois, e após muita insistência e discussões...

Em outubro de 2018 foi aberta nova Licitação e tiveram o atrevimento de, pelo que tudo indica, tentarem direcionar novamente o processo licitatório para obter vantagens. Das 14 empresas inscritas para participar do processo, "parece" que 8 foram "aprovadas". Digo "parece" porque "esconderam" o processo licitatório, em franco desrespeito aos conselheiros que deveriam ser os atores principais. Com essa "suposta" tentativa de direcionamento da Licitação à O.S. VITALE, uma denúncia foi feita com questionamentos junto ao TCE. Acredita-se que o contexto da licitação foi intencional para que fosse suspensa e, com o processo suspenso, o governo municipal pudesse renovar o Contrato Emergencial com a corrupta O.S. VITALE. E assim foi feito: o governo municipal alegou não ter tempo hábil para preparar nova Licitação e, como era esperado, renovou o Contrato com a O.S. VITALE que está sendo processada por corrupção do dinheiro público, e deve continuar renovando até serem cassados ou terminarem o atual mandato nefasto.

Temos que acabar com a corrupção na Saúde e com o descaso que a população sente toda vez que precisa de atendimento médico/hospitalar. Restam poucas dúvidas de que governo municipal apresenta vários indícios e sintomas de suposta corrupção nas Licitações envolvendo a O.S. Vitale, lembrando que o grupo Vitale está respondendo processo por corrupção na Operação Ouro Verde no Gaeco de Campinas, no qual um dos ex-diretores da empresa delatou que o secretário de comunicação e a secretaria de Saúde aqui de Várzea Paulista recebiam propina.


Obs.: A matéria acima é de inteira responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Blog Várzea Paulista