A tensão pode se acirrar no cenário institucional

Segundo o site Gazeta do Povo, na capital do país, Brasilía, a base do governo e oposição avaliam que deve ter um acirramento do cenário político entre os poderes institucionais, Executivo, Legislativo e Judiciário, com a decisão do STF em manter o inquérito relacionado às fakenews, formada até ontem com maioria dos votos (8 a favor e nenhum contra, a sessão plenária continua hoje). Isso deve ter desagradado o presidente Bolsonaro e seus apoiadores, e deve motivar novos episódios de críticas públicas entre integrantes dos três poderes. 

No encontro com apoiadores na portaria do Palácio do Planalto, o presidente comparou possíveis reações do governo a decisões do STF como a uma "emboscada". Ele disse: igual a uma emboscada. Tem que esperar o cara se aproximar, vem mais. Vem jogando ovo, pedra. Chega mais, chega mais (...) Não quero medir forças com ninguém, (mas) continua vindo". E também voltou a criticar "abusos judiciais" em ações autorizadas pela corte.

Neste horizonte político e judicial brasileiro, que aparenta estar conturbado por manifestações, contrariedades, interesses, disputas e ações judiciais e policiais, o Covid-19 no Brasil se aproxima de 1 milhão de casos, e com o estado de São Paulo se mantendo estável na deprimente liderança de centro nacional da pandemia, com 20% do total de casos e 25% do total de óbitos no país, o Blog do Vicente Nunes no site Correio Braziliense , comenta que governadores de vários estados estão com o sinal de alerta ligado depois que foram avisados de que, entre eles e Bolsonaro, as Polícias Militares ficam com o presidente, ou seja: se os policiais militares tiverem de escolher entre os governadores e Jair Bolsonaro, ficam com o presidente da República, desde o mais alto ao menor cargo. 

O clima mais belicoso entre governadores e PM está em São Paulo. São muitas as manifestações públicas de que os policiais militares estão contra o governador João Dória. Em mensagens que circulam pelas redes sociais, os policiais sustentam uma série de ataques a Dória, chamado de "traidor" e "incompetente". Ora, se está complicado enfrentar o Covid-19, no sentimento da opinião pública certamente não deve ser fácil aceitar as ações políticas, judiciais e policiais nos noticiários dos meios de comunicação, principalmente as ações dos políticos da esquerda e seus partidos no STF "em defesa da democracia"...