3ª Rejeição das Contas Municipais pelo TCE neste atual governo de Várzea Paulista, agora é de 2016

  Então... conforme abordamos dia 28/01 no Sinal de Fumaça, o TCE já havia rejeitado as CONTAS 2013 e 2015, mas o governo municipal aqui de Várzea Paulista conseguiu superar sua própria marca de "supostas" improbidades... agora são 3! Ora, com as Contas 2016 o atual governo municipal "conseguiu" que, na sessão da 2ª câmara no dia 06/11/2018, com base em Parecer no Processo TC-004374/989/16, os auditores decidissem pela REJEIÇÃO DAS CONTAS 2016 do governo Juvenal Rossi (clique nos links para ver).

Segundo comentários dos bastidores e opinião pública, atentos aos muitos processos judiciais contra o governo municipal, nos quais já foi condenado em alguns, esse governo parece que não conseguiu aprender administrar em 6 anos de governo, e ainda coleciona uma série de irregularidades judiciais durante o mandato do prefeito desde 02/01/2013. Uns e outros dizem que tem incompetências na gestão, ou até mesmo "consciência" do que estão fazendo de irregularidades. Exemplos de "escândalos" nunca explicados não faltam: o Bolsa Família, o "imbróglio" do Cemitério municipal, as Contas da Saúde "aprovadas" pelo COMUS, a "expulsão" do ex-conselheiro José Maria dos Anjos do Conselho, a delação do diretor da Vitale afirmando que pagou propina para os secretários da comunicação e da saúde, o "valor" da cobertura da quadra da escolinha Paulo Freire que já estava pronta e paga pela Associação de Pais e Mestres da Escola, etc. e tals, sem que se tenha noticia de qualquer ação de investigação de irregularidades por parte dos vereadores que, segundo comentam, tem optado pela "governabilidade".

São muitas, e quase diárias, as denúncias de todo tipo contra o governo, principalmente nas redes sociais, mas ter as Contas Rejeitadas pelo Tribunal de Contas é um retrato praticamente "ululante" de como o governo tem lidado com os cofres públicos municipais desde 2013, e agora "contemplado" com 3 Contas REJEITADAS. Incompetência ou outra coisa? Especula-se na cidade toda que este atual governo está na contramão dos interesses da população, governo que comentam se esforçar para não deixar "vazar" o que acontece de errado na administração. Mas sempre alguma coisa "vaza", principalmente o que acontece na gestão de Saúde com a Vitale sendo investigada na Operação Ouro Verde de Campinas, inclusive com diretores presos delatando.

Quanto aos vereadores fiscalizarem o governo municipal, tanto os bastidores quanto a opinião pública parecem não confiar na "intenção" de fiscalizarem qualquer coisa do governo, e que seriam apenas meros coadjuvantes da equipe executiva de governo, prefeito e gestores. Porque são assim? Não se sabe ao certo, mas há muitas especulações a respeito... Quem sabe o mandado judicial para que seja lido e votado o pedido de cassação do prefeito provoque alguma reação, o que parece improvável mas não impossível... O novo presidente da câmara pode dar inicio a um novo modelo de gestão da Casa de Leis, tendo a incumbência da abertura de Comissão Especial de Inquérito para investigar o prefeito, conforme o pedido do "xerife da Saúde" expulso do COMUS. Vamos acompanhar o andar da carruagem!