Campanha eleitoral em Várzea Paulista entrou na fase “enlouquecida”?

11/11/2020

Segundo relatos dos bastidores e munícipes, a campanha eleitoral parece estar aparentemente "enlouquecida", e que candidatos a prefeito e vereador aqui em Várzea Paulista estão na fase do "vai ou racha". Estes mesmos relatos indicam também o que mais tem provocado estranhamento nas pessoas: ouvir nos carros de som que o candidato a prefeito pelo PSDB está na frente das pesquisas, tal como na campanha de 2016 para reeleição do atual prefeito, e que vários carros com candidatos a vereador se apresentando como o mais "preparado", que é a "solução" para resolver os problemas do município, além de "garantir" que vai fiscalizar o "prefeito" e "defender" a população com as mesmas promessas de sempre, assim como fizeram os atuais vereadores que querem se reeleger sem sequer tomar providencias legais contra os escândalos na Saúde, Cemitério, Bolsa Família, entre outras "coisas", tudo em nome da "governabilidade", além de endividarem a prefeitura para a população pagar a conta.

Ontem, 10/11, na sessão da câmara municipal, a votação das Contas 2015, REJEITADAS pelo Tribunal de Contas do Estado, foi mais uma vez adiada, através de manobras dos vereadores da base do governo municipal, para a próxima semana. Apesar das publicações nas redes sociais, nesta mesma sessão não foi votado aumento de salários dos vereadores, conforme informou o presidente da câmara ao Blog: "O que foi votado foi manter o que já é hoje, porque tem que ser votar antes das eleições os subsídios dos vereadores, prefeito e secretários, a lei manda isso, e nós não demos nenhum aumento".

Comenta-se nos bastidores e opinião pública, de forma geral, que os eleitores "indecisos" estão se posicionando para votar nos candidatos que estão fazendo uma campanha eleitoral limpa, sem "apelações", sem "promessas dolosas" (sem intenção de cumprir), como praticamente fazem todos os políticos, eleitos ou não, ao longo das campanhas eleitorais... parece valer qualquer coisa, sem nenhum pudor, para chegar o no "poder". As palavras "mágicas": saúde, segurança, educação, etc, etc, etc... ainda "convencem" os eleitores? Vamos ver, nos resultados das eleições do próximo domingo, se os eleitores continuam "ingênuos", "encantados"... ou despertos e lúcidos para mudar tudo.