Demora para decreto de uso obrigatório de máscara revela inépcia no governo estadual de São Paulo?

Então... a partir de hoje, quinta-feira, 07/04, como medida de combate ao Covid-19, o uso de máscaras passa a ser obrigatório em todo o Estado de São Paulo. O decreto, segundo o governador de São Paulo, João Doria, foi feito com base em recomendações do Centro de Contingência do coronavírus, com o objetivo de conter a disseminação do coronavírus e garantir o funcionamento dos serviços de saúde. A máscara é para ser usada em todos os locais públicos, e prevê multa que vai de R$ 276,00 a R$ 276 mil para quem descumprir a regra, além de detenção por até um ano. Portanto, as máscaras são obrigatórias em todos os espaços de acesso aberto ao público, incluídos os bens de uso comum da população, no interior de estabelecimentos comerciais como farmácias, supermercados, oficinas mecânica, repartições públicas, etc., sendo de uso obrigatório para todos.

Claro, de modo geral avalia-se que se esta medida deveria ter sido aplicada desde o inicio de março, com ampla campanha de conscientização, o que poderia ter reduzido o numero de óbitos no Estado, e certamente bem menor do que é divulgado até hoje. Ora, no início da pandemia, os médicos Dráuzio Varella e David Uip publicaram vídeos tratando o Covid-19 como "gripe", em apoio ao governo de São Paulo que insistentemente recomendava que ninguém deveria usar máscaras, e que era suficiente lavar as mãos e manter distância de 1 metro das pessoas. Antes disso, o governador de SP, em coletiva de imprensa, em sintonia com estes mesmos médicos, disse em fevereiro, antes do carnaval, que ninguém precisava se preocupar com o coronavírus e que o governo do Estado estava preparado e equipado para qualquer "eventualidade", e que não havia razão para pânico.

Provavelmente, ao perceber que estava cometendo a imprudência de ter subestimado o Covid-19 e, para não ficar mal e com a imagem arranhada, suspeita-se que o governador SP tenha optado por atacar o presidente Bolsonaro para, talvez, desviar a atenção da inépcia na equipe do governo estadual, segundo comentários ácidos nos bastidores e opinião pública. Ora, São Paulo é o Estado da União recordista de óbitos, 3.045 até ontem, 06/05, número mais do que suficiente para desmentir tudo o que o governador e médicos disseram até o inicio de março, para logo depois decretar quarentena no dia 24/03, prorrogar o isolamento social até dia 11/05 e agora tornar obrigatório o uso da máscara em todo o Estado.

A opinião pública pergunta: e agora sr. governador, qual o próximo passo?