Bateu desespero nos envolvidos na calunia ao presidente Bolsonaro no caso Marielle?

Então... nem bem a divulgação da delação de Marcos Valério havia esquentado a opinião pública, apontando Lula como mandante da morte de Celso Daniel, e já "vazou" a noticia no jornal nacional de que o presidente Bolsonaro teria alguma implicação na morte da ex-vereadora Marielle Franco, tirando estrategicamente de cena o ex-presidente Lula e a morte de Celso Daniel. Entretanto, os registros da portaria do condomínio indicam que o porteiro mentiu no depoimento, conforme informa o MP do Rio, o que deve complicar o delegado de polícia do caso, o governador do Rio e a rede globo. Segundo muitos uns e outros, enquanto o governador do Rio, Wilton Witzel, se defende como todo "inocente" do "suposto" envolvimento no "vazamento", que está sob segredo de justiça, o MPF acatou o pedido do ministro Moro e vai investigar todo o episódio para apurar envolvimentos e responsabilidades, principalmente se foi uma manobra para obstrução da justiça por parte da policia do Rio, o que permitirá a Policia Federal entrar no caso. A PF tentou várias vezes investigar esse caso, mas o governo do Rio não permitiu. Claro, o PT reagiu contra a PF investigar a morte da ex-vereadora. Para deixar todos os envolvidos desesperados e com taquicardia próxima de um AVC, o porteiro deve ser enquadrado no crime de caluniar ou difamar o presidente da República, previsto na Lei de Segurança Nacional de 1983. Vai ter que explicar tudinho. Bom, a expectativa é que, com a PF no caso, o(s) mandante(s) seja(m) revelados e indiciado(s) em breve. É como disse o presidente Bolsonaro: as hienas estão tentando tumultuar a ordem no Brasil e, consequentemente, o progresso, mas, de novo, não está dando certo. Pelo sim pelo não, aparentemente tudo o que se conseguiu com mais essa tentativa foi colocar a PF no caso Marielle... Aleluia! Oremos!