É só uma teoria de conspiração contra a população da cidade de São Paulo?

20/05/2020

Teorias de conspiração à parte, enquanto Jundiaí e Várzea Paulista não antecipam feriados nesta semana, circula nas redes sociais comentários de que o governo de São Paulo, Estado e Capital, estariam colocando em prática uma 2ª fase de um suposto plano maquiavélico para aumentar o número de contaminação, e consequente aumento de óbitos para justificar a quarentena, ou seja: a suposta 1ª fase teria sido o rodizio par/impar para aumentar a aglomeração nos meios de transporte coletivo (ônibus, trens e metrô), seguido do megaferiado para concentrar as pessoas nas residencias depois das aglomerações nos meios de transporte. 

Se isso é verdade, e existindo a alta probabilidade de que muitos tenham sido contaminados, então os índices de contaminação deve disparar nas residencias, principalmente nos grupos de risco doméstico, e não deixaria de ser uma maldade genocida sem medida contra a população da cidade de São Paulo, inclusive exportando a contaminação para o litoral paulista, segundo especulações na opinião pública. A baixada santista está reagindo e tentando impedir a entrada de turistas e visitantes no litoral. Mas, claro, tudo isso não deve passar de mera suposição sem sentido e sem qualquer fundamento. O problema pode ser só no imaginário da opinião pública. Ou não?

Bom, há também a questão do imaginário popular também considerar que uma suposta 3ª fase está pronta para ser implementada logo após o megaferiado: a Quarentena Total. Entretanto, o governador de SP. João Doria, já disse que a Quarentena Total "não é necessária no momento, mas não descartável", cujo plano e preparativos já estão prontos para aplicação. Mas também, isso pode ser mais uma daquelas suposições descabidas de mentes que apreciam conspirações maquiavélicas, principalmente depois que autoridades médicas e governamentais vieram a público dizer que "não havia nada com que se preocupar, que todos podiam ficar tranquilos e que o governo estava pronto para enfrentar o Covid-19 com responsabilidade" (vídeo na página principal do Blog). Bom, até o momento o que acontece na vida real não é o que disseram nos discursos e afirmações ditas antes e durante o carnaval. Como confiar? Essa a pergunta que a opinião pública de São Paulo e região metropolitana tem feito, com muitas desconfianças...