Estamos na fase do tudo ou nada no Estado de SP?

Então... a maior carência dos paulistas, a mesma dos brasileiros em geral, parece que continua a mesma desde o início da pandemia. Falta liderança estadual à altura. Como um comandante assistindo de um lugar seguro o desenrolar da batalha, o choque das decisões do governador João Doria e do prefeito de S. Paulo Bruno Covas, ambos do PSDB, em favor da quarentena, parece mais uma evidência de que eles aparentemente não tem conhecimento nem compreensão do desafio no combate ao Covid-19 e seus efeitos danosos na economia. Ao que parece, nem vontade, ou mesmo capacidade, para adquiri-los parecem ter. As consequências são previsíveis. O isolamento social populista, e o discurso flertando com o irracional divide e polariza a sociedade, o descaso com a realidade aterradora trazida pelo coronavírus poderão ainda custar aos paulistas dezenas de milhares de óbitos, a perda de confiança e o pior naufrágio econômico da nossa história no estado que mais produz riquezas no país. Ora, com o aumento do desemprego de forma insuportável, o aumento do índice de pobreza e miséria não vai atingir só a classe mais humilde... já está atingindo a classe média. E mais, reduzindo em 50% a circulação de veículos com o rodízio par/impar, a utilização e aglomeração nos meios de transporte coletivo dobrou na Capital, despertando a sensação de que o número de infectados também vai dobrar, o que certamente não é o que os paulistanos da região metrolitana querem... Bom, o Ministério Público SP já entrou com recurso contra a prefeitura para suspender o rodizio. Mas, em nome da "ciência", o que querem e/ou pretendem o governador e o prefeito de SP?  Pelo sim pelo não,a opinião pública quer saber: se é por poder, então já estamos na fase do tudo ou nada? Oremos!!!