Fim da ingerência corrupta na co-gestão da UPA e do Hospital de Várzea Paulista?

Com o desfecho final do processo de Licitação para o fatídico contrato emergencial de 180 dias para o gerenciamento da UPA e Hospital, do qual foi declarada vencedora a empresa ISSRV, anexamos aqui um histórico dos acontecimentos e fatos. Isso confirma que o governo Juvenal NUNCA teve rumo...

Desde a entrada da OS Vitale, a saúde nunca foi voltada para um atendimento com o mínimo de qualidade aos munícipes, como já denunciamos quando estivemos no Conselho Municipal da Saúde, e do qual fui expulso por discordar da gestora de saúde, a Dra Monica Carvalho. A luta contra os indícios de corrupção, que já estava acirrada com a auditoria que fizemos, tomou rumos judiciais com o retorno do Gaeco, inclusive nas casas dos gestores envolvidos no escândalo da propina, depois das denuncias que fizemos no Ministério Público.

Apesar das incertezas, chateações e dores de cabeça, duas vitórias foram conquistadas para inibir a corrupção que assolava a gestão da UPA e do hospital, que foi a exoneração da dra Monica, ex-gestora da saúde, e do David Alexandre, ex-gestor de comunicação, e a ingerência da Ingex/Vitale na saúde de Várzea Paulista que chegou ao fim, e com ela a corrupção. É o que todos desejam e a cidade merece.

O Gaeco e o Ministério Público continuam investigando a corrupção na saúde.