Fim do carnaval, “ressaca”, quaresma e o pré-eleitoral 2020

Então... o Carnaval 2020 terminou oficialmente ontem, mas a folia aparentemente ainda não, principalmente no meio político federal, estadual e municipal neste inicio de ano pré-eleitoral. A Quaresma tem início hoje, quarta-feira de cinzas, e são 40 dias para reflexão e penitência conforme o calendário católico. Neste período é recomendado o recolhimento em oração para meditar nos 40 dias passados por Jesus no deserto e os sofrimentos que ele suportou na cruz e, claro, incluindo uma revisão do próprio comportamento pessoal e consequente correção de rumo moral dentro dos moldes e princípios cristãos, o que seria o ideal. Entretanto, a desintoxicação da "ressaca" pós-carnaval, de hoje até o próximo domingo, 01/03, deve abrir espaço para a intensificação da pré-campanha eleitoral 2020, para prefeitos e vereadores, onde o vale-tudo dos pré-candidatos na tentativa de se destacarem como a "melhor opção" para o eleitor, certamente vai dar início à "guerra pelo poder" a partir da próxima segunda-feira. Fofocas e Fakenews deverão inundar as redes sociais. Ora, com base no cada um por si, além do zicavírus, coronavírus e outros vírus "mortais", o eleitor também vai enfrentar o vírus do blá-blá-blá político das redes sociais e meios de comunicação que, insistentemente, tentam contaminar a verdade e a democracia do Brasil em prol de interesses particulares, incluindo a tentativa de manipulação das verbas federais pelo Congresso Nacional em favor de um grupo "vip" de parlamentares e seus redutos políticos, denunciada no "comentário no popular" do General Augusto Heleno, ficando mais acirrado com a "convocação da manifestação do 15/03". Pelo sim pelo não, o "medo" que os políticos parecem devem ter da manifestação, incluindo a "reação" alinhada de alguns supostos "formadores de opinião" da "imprensa", seria  por perda de "influência, dinheiro e poder"? Ou não? Oremos! É necessário...