Funcionário comissionado de Várzea Paulista é “obrigado doar” parte do salário para partido politico?

Então... mais um e-mail denunciando uma "suposta" prática "normal" no governo municipal aqui de Várzea Paulista, talvez comum inclusive em qualquer poder municipal, estadual e/ou federal. Vejamos: "Dizem que há uma lenda em Várzea Paulista. Essa lenda é sempre comentada em mesa de bar, futebol e até mesmo nos corredores da Prefeitura. Lógico que é comentada em tom de segredo e dizem que negarão até a morte caso alguém questione sua veracidade. Reza a lenda que servidores comissionados (alguns) trabalham o mês todo, mas precisam "doar" parte de seus salários para o partido. Muitos se dizem desanimados com isso, porque não é fácil ver um valor no holerite e ficar com outro, mas ou é isso ou estarão desempregados. O que mais os intriga é que não são todos. E sendo assim, porque não são todos? O mais interessante é que quem faz a costumeira "entrevista de admissão" desses comissionados é a mesma pessoa que pelo jeito está descontando dias de servidores efetivos também. Ou seja, "descontar... doar" deve ser uma atividade rotineira dessa pessoa a mando da administração." Pelo sim pelo não, será que é uma "insinuação maldosa e deslavada" contra o honestíssimo e exemplar governo municipal, mesmo com a justiça indisponibilizando os bens do prefeito por superfaturamento dos DVDs da Educação, com o Gaeco investigando propina na Saúde para os ex-gestores da Saúde e o da comunicação, e etc, etc, etc.? Oremos? Não carece